ações ordinárias e preferenciais

Entenda a diferença entre ações ordinárias e preferenciais

O crescimento do interesse dos brasileiros pelo mercado de ações vem aumentando com o passar do tempo. Em abril de 2019, A Bolsa de Valores de São Paulo (B3) atingiu a marca histórica de um milhão de investidores ativos.  

A facilidade para operar na Bolsa – o que pode ser feito de casa, por meio da Internet –  e a possibilidade de obter rentabilidades acima das oferecidas pelos produtos de renda fixa, são fatores que têm chamado a atenção para os investimentos de renda variável. Para começar a investir na Bolsa de Valores, é importante que se conheça as principais características do mercado.

É preciso, por exemplo, saber que existem diferentes tipos de papéis, como as ações Ordinárias (ON) e Preferenciais (PN).  A seguir, você entenderá as diferenças entre os títulos, bem como saberá como escolher a modalidade de ação ideal para você. Confira!

O que são ações?

Antes de mais nada, é preciso que você entenda com muita clareza esse conceito. As ações são valores mobiliários ou títulos emitidos por empresas que representam uma parcela do seu capital social. Quem adquire esses títulos torna-se, portanto, participante da sociedade da companhia. Ou seja, uma ação corresponde a uma pequena fatia de uma empresa e, ao adquiri-la, você se torna sócio dela. 

As empresas abrem seu capital oferecendo ações ao mercado para captar recursos e desenvolver projetos que viabilizem seu crescimento. Em troca, quem investe recebe os dividendos (remuneração pelo lucro do negócio) ou consegue obter ganhos com a venda das ações. 

O primeiro lançamento de ações no mercado é chamado de Oferta Pública Inicial (também conhecido pela sigla em inglês IPO – Initial Public Offer). Após a abertura de capital e a oferta inicial, a empresa poderá realizar outras ofertas públicas, conhecidas como “Follow on”. 

O que são ações ON e PN?

O mercado brasileiro conta com duas classes de ações, as ON e PN.

De acordo com o Estatuto Social das Companhias, que refere-se ao conjunto de regras que deve ser cumprida pelos administradores e acionistas, uma ação ordinária (ON) tem como  principal característica o fato de conferir ao seu titular o direito ao voto nas assembleias de acionistas. Porém, vale ressaltar que o poder de voto é proporcional ao volume de ações ordinárias que o investidor possui. 

Já a ação preferencial (PN) não permite o voto em assembleias, no entanto, o investidor possui prioridade na distribuição de dividendos, ou no reembolso de capital, que ocorre quando a empresa é liquidada, suas atividades encerradas e seus ativos vendidos.

Em resumo: de acordo com a B3, a principal diferença entre ações ON e PN reside no fato de que as ordinárias dão ao seu detentor direito de voto nas assembleias de acionistas e as preferenciais permitem o recebimento de dividendos em valor superior ao das ações ordinárias, bem como a prioridade no recebimento de reembolso do capital.  

Qual tipo de ação escolher? 

A resposta é: depende. Uma ação pode ser mais interessante do que outra, a depender do seu perfil e objetivos. A escolha está relacionada à sua posição como investidor. O ideal é que, caso não tenha conhecimentos muito aprofundados de mercado, conte com ferramentas e materiais educativos que te auxiliem a investir.   

Os especialistas recomendam que, se um investidor for minoritário, ou seja, tiver posse de poucas ações, como o direito ao voto é limitado, pode não compensar ter uma ação ON.

As ações PN dão direito a receber dividendos, no mínimo, 10% maiores do que o valor por ação pago àqueles que possuem ações ON, o que pode ser bem vantajoso. Além disso, as ações PN possuem maior liquidez na Bolsa, isto é, são negociadas com mais frequência.

Uma característica que torna as ações ON atrativas, sobretudo para os investidores pequenos, é o direito ao tag along –  participação no prêmio de controle, caso haja venda ou transferência de controle da empresa. Quando isso acorre, conforme prevê a Lei nº 6.404/1976, legislação que rege as Sociedades Anônimas no país, a compradora deve pagar aos detentores das ações ON da empresa adquirida, no mínimo, 80% do valor pago pelas ações. Algumas companhias chegam a pagar 100% de tag along. Por isso, em caso de mudança de controle acionário, é comum as ações ON se valorizarem acima das ações PN.

A decisão de compra, portanto, vai depender de cada investidor. Um analista de investimentos pode te ajudar a tomar essa decisão. Isso porque a escolha também depende de um conhecimento prévio sobre a empresa da qual se pretende adquirir os títulos. Saber se esta companhia está de acordo com as boas práticas de governança corporativa e tem entregado bons resultados nos últimos balanços são aspectos fundamentais para trazer segurança ao investimento.

A B3 possui uma lista de segmentos especiais de listagem das companhias – Bovespa Mais, Bovespa Mais Nível 2, Novo Mercado, Nível 2 e Nível 1. Todos os segmentos prezam por rígidas regras de governança corporativa. Essa lista é importante para balizar as suas decisões.

Se você quiser saber mais sobre o assunto e deseja começar a investir em ações, a Vexter pode ser sua grande aliada. Em nossa rede social de investimentos, você encontra tudo que precisa para dar seus primeiros passos na Bolsa. Além de compartilhar informações, você pode praticar no simulador e também interagir com especialistas que ficam ao vivo durante todo o pregão e indicam em qual ação vale a pena investir no momento, seja ela ON ou PN. Crie já a sua conta

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.