BDR BDR

O que são BDRs e como investir em ações estrangeiras

10 minutos para ler

Nos últimos meses os mercados financeiros do mundo inteiro tem ficado de olho nas ações da Amazon. Afinal, enquanto as economias mundiais estão em um dos seus piores momentos, os ativos da empresa valorizaram mais de 70%. 

Isso não surpreende e por várias razões. As empresas de tecnologias vêm sendo cada vez mais procuradas pelos investidores, pois têm um bom potencial de crescimento. Mas, sem dúvidas, o aumento da procura por serviços e-commerce é um dos principais motivos. 

Parece uma ótima oportunidade de investimento, certo? E ela está mais acessível do que você imagina! Você não precisa ter uma conta bancária estrangeira e nem pagar impostos no exterior. 

Dentro da Bolsa de Valores o investidor tem acesso a um produto chamado Brazilian Depositary Receipts (BDR). Os BDRS, permitem que os investidores negociem ações de empresas estrangeiras pela própria B3.

Continue a leitura e fique por dentro desse produto financeiro!

O que é BDR?

Em linhas gerais, cada BDR é uma ação emitida por empresas de outros países. E a lógica de compra e venda é similar aos ativos de empresas nacionais.

A principal diferença desse ativo é que, por ser negociados na B3, o investidor não está negociando suas ações diretamente. Na prática, o investidor está comprando títulos representativos dessas ações que estão sob a custódia de uma instituição financeira.

Eles são representativos porque estão lá fora, no seu mercado de origem. Mas as ações já foram compradas pela instituição financeira que está vendendo aqui no Brasil. Assim, a instituição financeira atua como a guardiã da sua ação no mercado internacional.

Como funciona o sistema de negociação do BDR?

Para que os títulos de BDRs sejam negociados na Bolsa brasileira, primeiro as instituições financeiras, também chamadas de depositárias, tem que comprar as ações no exterior e manter esses papéis depositados em outra instituição que será a custodiante.

Somente após esse processo, a instituição depositária pode registrar a emissão desses títulos nacionalmente na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e, depois, começar a comercializar.

E é por isso que o investidor físico não precisa enfrentar toda a burocracia que envolve a compra de ações no mercado internacional. Principalmente, por não haver necessidade de converter os valores. Quem negocia elas lá fora são as instituições depositárias.

Mas fique tranquilo. O fato de as ações ficam sob custódia das instituições financeiras não significa que esse seja um investimento ainda mais arriscado.

A legislação brasileira obriga que as instituições depositárias repasse todas as informações sobre o investimento, tais como: as condições para pagamentos, os dados da empresa para que você possa avaliá-las e tudo que garanta o seu direito como dono das ações. 

Os tipos de BDR

Como a maioria dos investimentos, os BDRs possuem diferenças entre si. E ter o conhecimento sobre elas é essencial para definir qual a melhor opção para o seu plano de investimento.

Existem dois tipos de BDR disponíveis na B3: os patrocinados e os não patrocinados.

BDRs patrocinados

Os patrocinados são os BDRs negociados com a participação direta da empresa emissora. Essa influência, em geral, acontece quando a própria empresa contrata uma instituição financeira depositária para operar esses títulos dentro da Bolsa de Valores brasileira. Seria como se a Amazon contratasse um banco brasileiro para oferecer os seus BDRs.

Isso ocorre muito quando a empresa tem interesses em explorar o mercado nacional brasileiro e de expandir os seus negócios na região.

Dentro do grupo de BDRs patrocinados ainda existe uma subdivisão de níveis, e o que determina isso é a forma como eles são comercializados:

  • BDRs patrocinados nível 1

Esses são os títulos que não precisam de registro na Comissão de Valores Mobiliários. Esse tipo de oferta é considerado a menos burocrática, apesar da condição que limita o máximo de 50 investidores. Por isso, essas ações só podem ser negociadas em mercados de balcão ou em outros ambientes da Bolsa específicos para a negociação desse tipo de papéis. 

  • BDRs patrocinados nível 2

Por sua vez, os títulos de BDRs nível 2 precisam ser registrados na CVM e podem ser negociadas em qualquer área da Bolsa. Mas a oferta pública dessas ações também é realizada no processo chamado “esforços restritos”. Ou seja, existem limitações dos valores mínimos que podem ser investidos por cada investidor, e da quantidade de investidores que podem ser de até 75.

  • BDRs patrocinados nível 3

As de nível 3 também precisam ser registradas junto à Comissão de Valores Mobiliários, mas elas já podem ser ofertadas publicamente de forma ampla. Em outras palavras, sem a limitação da quantidade de investidores.

BDRs Não patrocinados

Os BDRs não patrocinados são títulos comercializados por iniciativa da própria instituição depositária. Ou seja, que não tem influência direta da empresa emissora.

No Brasil, a maior parte dos BDRs são do tipo não patrocinado. Nesse grupo encontram-se ações como da Amazon, da Microsoft e da Apple. No último semestre de 2020,  dentre as ações BDRs as da empresa Apple se destacaram como a terceira mais rentável.

Quais são os custos e tributações dos BDRs

Para conseguir analisar se as BDRs são boas opções para os seus objetivos e saber sobre a lucratividade delas, é preciso saber sobres os custos e tributações envolvidos. Afinal, apesar de não haver necessidade de se ter conta em bancos estrangeiros e pagar impostos internacionais, negociar BDRs é uma transação financeira. E toda transação financeira está sujeita a tributações.

Em um primeiro momento, o para quem decide investir em uma BDR, possivelmente, será cobrada uma taxa de custódia das ações. Mas além disso, os custos envolvidos nas negociações das BDRs são similares ao de títulos nacionais.  Existem os emolumentos, a tributação do Imposto de Renda e também as taxas de corretagem, que podem variar entre as corretoras. 

Veja também: Quem deve declarar imposto de Renda?.

Quais as vantagens de investir em BDR?

Quando falamos em dinheiro, uma das principais dúvidas dos investidores é sobre as vantagens de se escolher determinado ativo. Então, vamos a elas?

Rentabilidade

Do ponto de vista da rentabilidade, muitas das empresas mais rentáveis no mundo estão no estrangeiro. Principalmente, nos mercados dos Estados Unidos, da Europa e da Ásia. Além disso, são investimentos feitos em moedas estrangeiras que, caso seja valorizada, podem aumentar o percentual de lucro do investidor.

Praticidade

Em relação a questão da burocracia, as BDRs são formas mais práticas de se investir no exterior. Caso um investidor decida investir no exterior diretamente nos mercados, ele vai estar sujeito às taxas conversão da moeda e as taxas bancárias locais. Não é possível investir sem ter uma conta bancária no país de origem das ações.

Mas também, existe a questão da dupla tributação. Para operar em qualquer mercado, existem as tributações impostas aos investidores pelos governos. Mas ao transferir os ganhos para o Brasil, o seu lucro será novamente tributado de acordo com as legislações brasileiras. Diminuindo, desse modo, o percentual de lucro.

Diversificação da carteira de investimentos

Inegavelmente, uma das importantes vantagens de se investir nas BDRS é em relação a diversificação da carteira.

Sabe o velho ditado que nos ensina a não colocar todos os ovos em uma mesma cesta porque, se ela acabar caindo, corremos o risco de perder todos eles? Com os investimentos, a lógica é a mesma.

A Bolsa de Valores pode ser um ambiente com grande volatilidade. Sendo assim, uma carteira diversificada permite que o investidor diminua os riscos, ao mesmo tempo que pode aumentar o potencial de rentabilidade.

Se você optou por investir o seu patrimônio em uma única empresa listada na Bolsa de Valores, você pode correr um risco desnecessário. Pense que: se por algum motivo as ações dessa empresa despencarem, você também sairá perdendo, pois não contará com as possibilidades de ganho através de outros ativos.

Veja também: Como fazer a diversificação de investimentos para montar a sua carteira.

Como investir em BDRs

Agora que você já entendeu sobre o BDRs, é hora de saber como você pode ter acesso a esse produto financeiro. Tão importante quanto ter o conhecimento é saber como operar ele a seu favor.  E não se engane, qualquer pessoa pode começar a investir em BDRs. 

Isso porque em setembro de 2020, a Bolsa de Valores brasileira mudou as regras  para as operações de BDRs. 

Antes, somente os investidores com mais de 1 milhão de reais em ativos podiam negociar ações estrangeiras pela própria B3. Mas agora, qualquer investidor pode comprar e vender um BDR.  E existem três passos essenciais para trilhar esse caminho:

1 – Abra uma conta em uma instituição financeira

Como todos os produtos financeiros negociados na Bolsa, o investidor precisa de uma instituição intermediária autorizada a operar na B3. Você pode optar por uma corretora ou um banco. O que vai determinar a melhor opção para você é a sua realidade financeira e as condições oferecidas pelas instituições.

Se você tem dúvidas sobre qual a instituição financeira pode ser mais adequada para você, confira nosso artigo sobre as diferenças entre investir com bancos e corretoras e saiba mais!

2 – Pesquise o mercado

É muito importante que você se informe sobre as empresas das quais os títulos estão sendo negociados. Alguns tipos de BDRs podem ser mais indicadas para quem deseja obter rendimento com dividendos e outras para quem deseja obter lucros com a compra e venda das ações.

Também é essencial que o investidor avalie as condições da variação cambial para que não tenha nenhuma surpresa.

3 – Acesse seu Home Broker

O Home Broker (HB) é uma plataforma de negociação de ativos que permite a conexão entre o investidor e a bolsa de valores. Por ele, tudo acontece na internet e em poucos segundos.

O investidor pode enviar suas ordens de compra e venda de maneira rápida e prática, fazendo todas as suas operações com apenas alguns cliques. Além de realizar operações de compra e venda, por meio do HB é possível fazer cotações, acompanhar as ordens enviadas, verificar seu portfólio de investimentos e consultar seu extrato.

Por meio do Home Broker o investidor pode negociar BDRs  escolhidas apenas identificando o código dessas ações. Para os BDRs patrocinados, os códigos dos títulos terminam com 31, para as de nível 1, e 32 e 33 para os demais níveis.

Já as BDRs não patrocinadas, elas são identificadas pelo código 34 ou 35. Como por exemplo, as ações da Apple que são do tipo não patrocinada tem o código AAPL34.Quer saber mais sobre BDRs? Então se inscreva na nossa newsletter, toda segunda enviamos as principais informações do mercado financeiro para te deixar informado.

Posts relacionados

Deixe um comentário