Como montar uma carteira de ações com estratégia e otimizar os resultados

Um dos segredos do sucesso na bolsa de valores é não escolher sua carteira de ações aleatoriamente. Cada papel precisa ser escolhido a dedo, de maneira muito bem pensada, para otimizar os seus resultados.

Com isso, existem estratégias que você pode seguir para montar a sua carteira. Além de usar técnicas de gestão de risco, existem outros pontos que precisam ser levados em consideração para proteger seu capital.

Como montar uma carteira de ações com estratégia para otimizar os seus resultados? Separamos abaixo algumas dicas. Confira!

carteira de ações

1. Diversifique a carteira de ações para minimizar sua exposição

Você já ouviu dizer que não é bom colocar todos os ovos na mesma cesta, porque caso ela caia, todos quebrarão? Esse ensinamento popular tem muito a ver com investimentos na bolsa de valores, mais especificamente com a diversificação da carteira. Se você utilizar todo o seu capital para comprar ações de apenas uma empresa, o risco ao qual você estará exposto será muito maior.

Veja um exemplo

Em maio de 2018, a greve dos caminhoneiros afetou o país inteiro. A categoria reivindicava redução no preço do Diesel ao governo federal.

Logo, as ações da Petrobras sentiram o efeito dessa manifestação. No dia 28 de maio, as ações da estatal caíram mais de 14%.

Assim como aconteceu com a Petrobras, ações de outras empresas podem sofrer impactos devido à influência de problemas que afetam a companhia. Se um investidor tivesse aplicado grande parte do seu capital na petroleira antes da greve estourar, ele poderia ter acumulado uma perda que não estava calculada, devido à queda repentina no preço do papel.

Proteja seu capital

Por isso, é importante diversificar a carteira de ações. Você protege seu capital das oscilações do mercado e, se houver alguma perda, será possível controlar a situação de maneira mais eficiente.

2. Não concentre os investimentos em ações do mesmo setor

Como um complemento à dica acima, na hora de montar sua carteira de ações, é interessante levar em consideração o setor das empresas que você vai investir. Na B3, existem instituições de diferentes ramos de atuação e você pode usar essa diversidade ao seu favor.

Se você comprar ações apenas do setor de construção, por exemplo, e ele passar por um momento de queda, seus resultados podem ser afetados. Dessa forma, é interessante variar os investimentos entre os setores.

3. Distribua de maneira equilibrada o volume financeiro entre os ativos escolhidos

Continuando no raciocínio de diversificação, uma carteira de ações de sucesso precisa ser equilibrada. Para isso, inclua ações  que não tenham o mesmo benchmark.

Por exemplo, várias empresas na bolsa têm grande correlação com o Índice Bovespa (IBOV). Então, você pode diversificar comprando ações de empresas que tenham correlação com dólar ou com outro ativo. 

4. Conheça seu perfil de investidor e trace objetivos

Um passo importante para buscar bons resultados é montar uma carteira de ações que esteja de acordo com seu perfil e objetivos financeiros. Cada investidor possui características específicas.

No geral, são três classificações de perfil diferentes. Sendo elas:

  1. Conservador: é o investidor que não gosta de correr riscos e preza muito pela segurança dos seus investimentos.
  2. Moderado: é um meio termo. Ele até aceita correr riscos para buscar melhores rentabilidades, mas também preza pela segurança.
  3. Agressivo: é o perfil do investidor que se arrisca por maiores rentabilidades, seu objetivo principal é obter grandes retornos.

Objetivos do plano de investimento

Além de adequar a carteira de ações ao perfil, ela precisa atender aos objetivos definidos em seu plano de investimento. Afinal, tudo tem que trabalhar em conjunto para que você avance com segurança rumo ao seu objetivo.

5. Escolha boas ações

Na hora de escolher as ações para compor sua carteira, é interessante entender o momento que a companhia está atravessando. Ou seja, buscar informações sobre a situação administrativa da empresa, verificar sua saúde financeira, analisar como estão seus números e até mesmo se ela está envolvida em algum escândalo. Tudo que tem relação com a empresa pode ser levado em consideração.

Evite ações que tenham sofrido grandes quedas e não tenham se recuperado ou empresas que estejam enfrentando problemas e tenham o futuro incerto. Assim, você poderá ter resultados mais estáveis em sua carteira.

6. Evite empresas com alto grau de volatilidade

Relacionados à dica acima, existem diversos fatores que influenciam o preço de uma ação. Entre eles, estão os problemas financeiros, má gestão e escândalos que envolvem as empresas de capital aberto.

Geralmente, os papéis de instituições que enfrentam esses problemas têm um alto grau de volatilidade, ou seja, a sua cotação varia muito. Portanto, o ideal é evitar ações de empresas com essa característica, pois elas podem ter um impacto imprevisível na sua carteira.

Você não precisa montar seu portfólio de investimentos sozinho. Existem carteiras recomendadas por analistas de investimento que já vem prontas. No entanto, é importante que você entenda todos os pontos que levantamos aqui para avaliar se ela foi bem elaborada ou não, afinal, é o seu dinheiro que será investido.

Que tal fazer parte de uma comunidade de investidores focados em obter grandes resultados? Cadastre-se na Vexter, sua rede social de investimentos. É gratuito!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.