como investir em BDR como investir em BDR

Como investir em empresas estrangeiras

7 minutos para ler

Investir, por si só, já é um bom negócio. Mas e se disséssemos que você pode fazer o dinheiro render aplicando seus recursos em gigantes do exterior como Apple, Amazon, Microsoft e Disney, por exemplo?

A notícia é boa para os investidores, pois em setembro deste ano, a Comissão de Valores Mobiliários deu um grande passo ao definir as novas regras de aplicação em ações estrangeiras – os BDRs, ou Brazilian Depositary Receipts. Antes restritos aos grandes investidores, os BDRs passam a ser, agora, mais uma possibilidade de investimento acessível aos brasileiros. 

E não é por acaso que essa modalidade está mais em pauta do que nunca. Afinal, por meio dela, é possível investir de maneira simples e ainda contar com uma boa liquidez. Ficou curioso para saber o que são e como investir em BDRs na Bolsa de Valores? Continue aqui com a gente que vamos te contar tudo!

O que são os BDRs

Emitidos no Brasil, os BDRs, ou Brazilian Depositary Receipts, são valores mobiliários que possuem como lastro ações ou fundos de índices (ETFs) estrangeiros. De maneira simplificada, funciona assim: por meio desse mecanismo, a B3 acessa os ativos de companhias internacionais e os coloca à disposição dos investidores brasileiros. 

Dessa forma, é possível investir capital no exterior diretamente a partir do mercado local – dispensando a enorme burocracia comum aos investimentos realizados diretamente em outros países. Mas vale lembrar que, ao investir em BDR, você não se torna sócio da companhia em questão, ao contrário do que acontece ao investir em ações brasileiras: com essa ferramenta, as possibilidades de lucro vêm da movimentação do ativo oficial. 

Além de serem uma alternativa atrativa para investidores que visam o médio e o longo prazo, os Brazilian Depositary Receipts também são interessantes para as companhias estrangeiras, uma vez que possibilitam aportes de capital – ainda que de forma indireta. 

Entenda os tipos de BDRs

Vamos, então, conhecer os tipos de BDRs existentes na Bolsa de Valores. É importante considerar que há dois grandes grupos de BDR na B3: os patrocinados – que contemplam os níveis I, II e III – e os não patrocinados. Veja só:

Patrocinados

Nesse primeiro caso, a companhia emissora, situada no exterior, participa da emissão das ações e influencia todo esse processo de forma direta. Empresas que têm interesse no mercado brasileiro geralmente se enquadram nesse grupo e são responsáveis por contratar as instituições depositárias – que viabilizarão a compra desses papéis pelos investidores. 

BDRs patrocinados de nível I: a companhia estrangeira não precisa do registro na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e a instituição depositária é obrigada a repassar todas as informações divulgadas no país de origem para os investidores brasileiros. Além disso, BDRs dessa categoria possuem um limite de 50 investidores por papel. 

BDRs patrocinados de nível II e III: ao contrário dos BDRs de nível I, aqui, a companhia estrangeira precisa estar registrada na CVM. Menos restritos, esses papéis podem ser negociados tanto no pregão da B3 quanto em balcão. No entanto, essas empresas devem seguir as mesmas regras adotadas para as grandes companhias brasileiras registradas na Bolsa de Valores.  

Não Patrocinados

A grande maioria dos Brazilian Depositary Receipts que encontramos na B3 se enquadram nesse grupo. Então, visando ampliar o rol de ações aos seus clientes, as empresas depositárias se responsabilizam por viabilizar esse instrumento para os investidores. Em contrapartida – mesmo não havendo acordo formal entre a emissora e a depositante – todas as informações relevantes da companhia estrangeira devem ser divulgadas – como balanços e relatórios, por exemplo. 

Códigos de negociação dos BDRs

Como vimos, os BDRs são ações estrangeiras negociadas na B3. Por isso, também possuem tickers, ou códigos de negociação, que possibilitam aos investidores reconhecerem o tipo de papel que estão adquirindo ou vendendo. 

As quatro letras iniciais indicam a companhia emissora, como por exemplo: AAPL (Apple) e DISB (Disney). Logo em seguida, vêm os números que indicam o grupo dos BDRs. Confira:

  • BDRs Patrocinados Nível I: não possuem código ao final do ticker;
  • BDRs Patrocinados Nível II: possuem código terminando em 32;
  • BDRs Patrocinados Nível III: possuem código terminando em 33;
  • BDRs Não Patrocinados: possuem código terminando e 34 ou 35.

Quais os BDRs mais negociados na B3

A novidade do ano para alguns investidores é, de fato, a possibilidade de investir, de casa – e sem precisar abrir contas em corretoras no exterior – em grandes companhias internacionais, e ou nacionais que abriram seu capital lá fora.

Anunciada em setembro de 2020 pela CVM, as novas regras para os BDRs democratizaram o acesso a esses ativos e passaram a contribuir para que empresas estrangeiras aumentem a captação de capital junto aos investidores brasileiros.  

Abaixo, você confere alguns dos BDRs mais negociados na B3 até o momento. Os dados são de dezembro de 2020:

Apple Inc. 

É de se imaginar que a Apple fez e segue fazendo história desde a sua fundação, em 1976. Não por acaso, ela é, hoje, uma das companhias mais valiosas do mundo – atingindo 2 trilhões de dólares em valor de mercado.

As ações da Apple são negociadas na B3 com o código AAPL34 e valor unitário que gira em torno dos R$ 68.

Amazon.com Inc.

Atrás da Apple, temos a gigante de tecnologia Amazon representando, também, a maior parte dos BDRs negociados na B3. Com valor de mercado de um trilhão de dólares, a companhia tem seus ativos disponibilizados na nossa Bolsa de Valores por meio do ticker AMZO34, com valor unitário aproximado de R$ 105.

Microsoft Corporation

Também com valor de mercado que bate a casa de um trilhão de dólares, a Microsoft, de Bill Gates, também está no topo das negociações quando o assunto é BDRs. Com o código MSFT34, possui valor unitário em torno de R$ 48.

Como investir em BDR: o passo a passo

  1. Conheça o seu perfil de investidor 

Antes de começar a investir em BDR, todo investidor deve ter conhecimento do seu perfil de investidor. São essas características que o ajudarão a encontrar os melhores ativos para aplicar o seu capital de acordo com seus objetivos e restrições. 

  1. Abra sua conta em uma corretora e acesse o Home Broker

Assim como acontece com qualquer negociação financeira, o segundo e importante passo é abrir sua conta em uma corretora de investimentos de confiança. Feito isso, é hora de transferir o recurso que você visa investir em BDR (ou em qualquer outro tipo de ativo) para a sua conta.

Ao logar nela, você terá acesso ao Home Broker, a plataforma por meio da qual são realizadas as negociações na Bolsa de Valores. 

  1. Escolha os BDRs que irão compor a sua carteira

No site da B3, você confere os tickers dos BDRs listados para poder analisar quais irá adquirir. No Home Broker, você pode negociar esses ativos clicando nos botões “vender” e ou “comprar”.

Aparecerá, logo em seguida, uma caixa de negociação – basta incluir, então, o código da ação, e informar a quantidade. Geralmente, os BDRs são negociados em lotes-padrão de 10 títulos. Mas o investidor também pode negociar valores unitários: nesse caso, basta incluir a letra F (de fracionário) ao final do ticker.

  1. Envie a ordem e pronto!

Por fim, é hora de incluir a sua assinatura eletrônica, enviar a ordem de compra ou venda do ativo e confirmar a transação. Pronto! Agora você já sabe como investir em BDR. Viu como é simples?

Continue por dentro do mercado financeiro e das últimas notícias relacionadas às finanças assinando nossa newsletter gratuitamente!

Posts relacionados

Deixe um comentário