8 passos para controlar gastos e organizar suas finanças

12 minutos para ler

A maneira como lidamos com o dinheiro afeta diretamente nossa qualidade de vida. Controlar gastos e manter a saúde financeira é essencial para evitar dores de cabeça e viver melhor.

Com as finanças organizadas, é possível desfrutar de muitos benefícios: ficar livre de dívidas, investir em boas aplicações e realizar sonhos – como fazer uma viagem, comprar uma casa ou trocar de carro. Ao contrário do que muitos pensam, não é preciso ser um grande economista e nem ter conhecimento avançado sobre finanças para conseguir colocar tudo em dia.

Mesmo assim, grande parte da população enfrenta sérios problemas financeiros. Segundo dados de uma pesquisa da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), realizada em 2017, cerca de 45% da população brasileira considera sua situação financeira atual ruim e admite não conseguir fazer um controle eficaz do próprio orçamento.

Para que você não faça parte desse grupo, separamos 8 passos que vão te ajudar a controlar gastos e organizar suas finanças:

Quer descobrir como controlar gastos e colocar suas finanças em dia? Aprenda agora mesmo! 

Organize-se

Tudo começa com uma boa organização. Sem o planejamento adequado, é difícil alcançar bons resultados. Por isso, os primeiros passos estão relacionados à organização financeira.

1. Conheça suas receitas e despesas

Saber exatamente quanto você ganha e quanto você gasta é fundamental para tomar as rédeas da sua vida financeira e controlar gastos. Por isso, é importante tomar nota de suas receitas e também de suas despesas.

Para quem recebe um salário fixo, calcular as entradas é uma tarefa relativamente simples. Já para os autônomos, empresários e profissionais liberais, isso demanda um acompanhamento mais próximo de todas as receitas geradas. Independentemente se você tem salário fixo ou não, é possível ter receitas vindas de diversas fontes e é importante não deixar nenhuma delas de fora. 

Exemplos de possíveis fontes de receita 

    • Salário e adicionais;
    • Imóveis alugados;
    • Dividendos de ações;
    • Rendimento da poupança;
    • Rendimento de outros investimentos;
    • Negócio próprio;
  • Revenda de produtos (ex: cosméticos).

Como você pode ver, existem várias maneiras de se obter renda. Para ilustrar melhor, veremos um exemplo prático.

João tem salário fixo, possui um imóvel que aluga para outras pessoas e tem uma quantia guardada na poupança, que lhe rende mensalmente um determinado valor. Veremos como são seus ganhos mensais na tabela abaixo:

Receita Valor
Salário R$ 4.000
Aluguel R$ 850
Rendimentos da aplicação na poupança R$ 250
Total R$ 5.100

João consegue aumentar sua renda total devido a outras fontes de receita que possui. Então, na hora de organizar suas finanças, ele não leva em conta apenas o seu salário, mas também o aluguel que recebe e o rendimento da poupança. 

Liste suas receitas

O primeiro passo para controlar gastos é listar suas receitas como no exemplo acima. Depois de tomar conhecimento de todos os seus ganhos mensais, é hora de calcular as suas despesasUma boa dica é anotar todos os seus gastos durante um mês e, ao final dele, avaliar qual é o seu consumo mensal.

Depois, é importante separar os gastos por categorias para entender para onde seu dinheiro está indo e quais despesas têm pesado mais em seu orçamento. O importante é que você visualize de forma clara todos os seus custos, sem deixar nenhum deles para trás. Ao tomar nota de todas as suas receitas e despesas, você terá dados suficientes para alimentar seu método para controlar gastos – assunto do próximo tópico.

2. Escolha um método para controlar gastos

A forma escolhida para se organizar e fazer seu controle financeiro é pessoal. Por isso, você pode escolher o método ou a ferramenta que se adequa melhor à sua necessidade. Opções não faltam. Vamos conhecer algumas?

Anotações manuais

Se você não abre mão de papel e caneta, pode usar um caderno para anotar todo o seu panorama financeiro: quais são seus ganhos, quanto pode gastar e quais contas tem para pagar. É importante manter todas as informações organizadas, assim, você consegue controlar gastos de forma mais efetiva.

Planilhas eletrônicas

Se preferir, você pode usar uma planilha do Excel para se organizar. Com algumas fórmulas simples, ela te entrega todos os cálculos prontos.

O próprio Excel, em suas atualizações mais recentes, oferece planilhas prontas muito simples de serem usadas. Elas já vêm montadas e você só precisa preencher alguns números.

Para que você consiga acessá-las facilmente, deixamos o link de cada uma  abaixo – é só fazer o download. Sua planilha de controle financeiro está apenas a um clique de distância.

Aplicativos de gestão financeira

Outra possibilidade é usar a tecnologia ao seu favor. Existem diversos aplicativos de controle financeiro para smartphones.

Você pode usar um deles para manter todo seu controle financeiro na palma da mão. Conheça três que podem te ajudar a organizar suas finanças e controlar gastos:

Seja qual for o método escolhido, o importante é que você consiga visualizar de maneira clara o quanto ganha, o quanto gasta e o quanto consegue poupar mensalmente. Hoje, o Guia Bolso é o mais popular dentre eles. O aplicativo é gratuito e possui funções muito úteis, como a integração com o seu banco, categorização automática de gastos e uma sessão de planejamento e metas.

3. Faça um orçamento mensal

Ao sair de casa, você sabe quanto pode gastar? E se aparece uma promoção aparentemente imperdível, você sabe se cabe ou não no seu orçamento?

Para responder a essas perguntas e controlar gastos, é fundamental ter um orçamento mensal. Ele será o seu mapa de receitas e despesas. Nele, você pode incluir tudo que te gera renda e especificar todas as suas despesas, seja com carro, casa, educação, saúde ou qualquer outro gasto.

Se você já seguiu os dois passos anteriores e listou suas receitas e despesas, montar seu orçamento será uma tarefa fácil. Você pode montar o seu orçamento mensal baixando uma planilha (disponível neste link) ou usando algum dos aplicativos de controle financeiro que citamos acima.

4. Crie uma reserva de emergência

Ao  planejar seu orçamento mensal, é importante separar um valor para construir uma reserva de emergência, que poderá ser utilizada caso haja algum imprevisto. Esse imprevisto pode ser bom – como a oportunidade de comprar uma casa por um preço acessível – ou ruim – como um contratempo familiar.  

Mas fique atento: não basta apenas fazer a reserva, você precisa investir esse recurso. Quando o dinheiro fica parado na conta corrente, ele vai perdendo seu poder de compra devido à inflação. Em contrapartida, se você o investe, ele pode gerar bons rendimentos.

Onde investir sua reserva financeira?

Existem diversos tipos de investimentos. Portanto, na hora de escolher um deles, além da rentabilidade, é importante observar a liquidez da aplicação, isto é, a facilidade de resgatar o recurso investido.

No caso de uma reserva para emergências, você precisa ter a liberdade de  retirar o capital a qualquer momento. Por isso, é importante ficar de olho na liquidez e informar-se sobre ela antes de investir. Uma opção interessante para aplicar sua reserva é o Tesouro Selic que,  além de ser a aplicação mais segura do país, também possui uma boa liquidez. 

Você também pode lançar mão de outros tipos de investimento disponíveis no mercado para diversificar sua carteira. O importante é sempre escolher modalidades que vão de encontro aos seus objetivos.

5. Separe um valor para investir mensalmente

Controlar gastos, poupar e investir são dois aspectos fundamentais quando o assunto é enriquecer. Para alcançar essa meta, o primeiro passo é gastar menos do que se ganha, para ter um excedente.

Depois, é crucial investir esse excedente para fazê-lo render, de modo que seu patrimônio cresça. Dessa forma, você pode acelerar a multiplicação de seus recursos. Separe mensalmente um valor para poder investir e seja disciplinado com esse recurso, isto é, não gaste o dinheiro na primeira tentação de compra que aparecer (acredite, elas aparecerão!).

Não adianta apenas ganhar dinheiro

No livro “Pai Rico, pai pobre”, o autor Robert Kiyosaki destaca que o que importa não é quanto dinheiro você ganha, mas quanto dinheiro você conserva. Todos ouvimos histórias de ganhadores de prêmios na loteria que eram pobres, enriqueceram subitamente e voltaram a ser pobres. Isso significa que não adianta apenas ganhar dinheiro, é importante saber administrá-lo e investi-lo bem.

Comprometa-se

Se você compreendeu os passos anteriores e está engajado com a mudança na sua vida financeira, parabéns! Você já deu um grande passo para controlar gastos e organizar suas finanças.

Porém, tão importante quanto planejar, é seguir seu planejamento financeiro pessoal. Para te ajudar a não sair da linha, separamos mais alguns passos importantes.

6. Fuja das compras por impulso para controlar gastos

Quem nunca fez uma compra e se arrependeu depois? Essa é uma sensação muito comum para quem compra por impulso. A pessoa é movida por um sentimento momentâneo e depois percebe que não precisava ou que não gostou tanto assim do que comprou.

Quer saber um segredo que ajuda muitas pessoas a se prevenirem desse tipo de compra? Ter um limite de gastos. Só saia de casa para fazer compras com esse limite de gastos bem definido.

Orçamento mensal

Esse valor deve ser escolhido de acordo com seu orçamento mensal. Por isso, precisa ser pensado com antecedência.

Se seu limite é de R$200 em determinado dia, não gaste mais do que este valor. Disciplina é fundamental na hora de organizar suas finanças e controlar gastos.

Além disso, no momento da compra, vale a pena fazer a seguinte reflexão: eu realmente preciso disso? Essa pergunta te ajuda a evitar compras desnecessárias.

7. Tenha bons hábitos financeiros

Uma vez que você está se organizando financeiramente, é hora de adquirir bons hábitos. A seguir, listamos 4 hábitos que te ajudarão a controlar gastos e a melhorar sua saúde financeira.

Pesquise, pesquise e pesquise

Antes de comprar qualquer produto, pesquise preços em várias lojas diferentes. Olhe as avaliações na internet, compare marcas, observe a qualidade e avalie o custo-benefício.

Fuja dos juros do cartão de crédito e do cheque especial

Essas duas linhas de crédito são o refúgio de muitas pessoas que estão com problemas financeiros. Porém, elas possuem juros altíssimos e podem transformar as suas dívidas em uma bola de neve.

Sem contar que isso pode comprometer sua estratégia de controlar gastos. A taxa média de juros do cheque especial estava em 324,7% ao ano em janeiro de 2018. No mesmo mês, os juros médios de operações com cartão de crédito foram de 327,9% ao ano.

Isso significa que, em apenas um ano, sua dívida pode aumentar em mais de 4 vezes. Com essas taxas, se você deve R$3 mil no cheque especial ou no cartão de crédito, em um ano, seu saldo devedor será de mais de R$12 mil.

Rentabilidade da poupança

Em contrapartida, se você tivesse investido esses mesmos R$3 mil na poupança por 12 meses, você terminaria o ano com R$3.185,40, considerando uma rentabilidade de 6,18% ao ano. Veja nos gráficos abaixo um comparativo do que aconteceria com seu capital nos dois casos citados.

Conseguiu ver como a diferença é enorme? Em um ano, você pode ganhar R$185,40 em vez de perder R$ 9.837. Nem precisamos perguntar o que você prefere, não é?

Pague suas contas em dia

Outro bom hábito que é muito importante diz respeito ao pagamento de contas. Evite juros e multas pagando suas contas sempre em dia. Não deixe que, por algum descuido ou falta de organização, você atrase esses pagamentos.

Atente-se aos pequenos gastos

Por último, preste muita atenção nos pequenos gastos, como o cafézinho ou o doce pós-almoço. São valores pequenos que, quando somados, acabam gerando grandes despesas, podendo comprometer inclusive a sua capacidade de poupar e investir.

Viu como pequenas atitudes podem fazer uma grande diferença? Se você ainda não possui esses hábitos, se esforce para que eles façam parte da sua vida. Você vai perceber como isso vai melhorar sua saúde financeira.

Execute

Não adianta nada ter todo esse trabalho de organização e não colocar nada em prática, não é mesmo? Por isso, tão importante quanto o planejamento é a execução!

8. Coloque em prática tudo o que planejou

Depois de organizar suas finanças, é hora de tirar as resoluções do papel e transformá-las em atitudes. Controlar gastos é como fazer exercício físico: no início é difícil, mas depois se torna um hábito.

Para isso, é necessário muita disciplina e persistência para que o resultado recompense todo o seu esforço. Ver-se livre de dívidas, poupar, investir e, com isso, conseguir realizar seus objetivos é maravilhoso!

O que te falta para realizar aquela viagem tão sonhada? Comprar aquele carro desejado? Matricular-se em um curso novo? Sonhos são o que nos movem!

Portanto, em resumo, para conseguir controlar gastos, você precisa se organizar, se comprometer e executar. Ou seja, primeiro é preciso colocar a casa em ordem, depois se planejar para o futuro e, por fim, tirar tudo do papel. Pode não ser uma tarefa fácil no começo, mas com persistência e foco você pode ir muito longe.

Pronto para melhorar sua vida financeira? Baixe gratuitamente nosso kit com planilhas financeiras pessoais!

Posts relacionados

Deixe um comentário