criptomoedas brasileiras criptomoedas brasileiras

Criptomoedas brasileiras: conheça os principais ativos do nosso país

6 minutos para ler

Você sabe quais são as principais criptomoedas brasileiras presentes no mercado? Nesse artigo vamos te explicar como o Brasil se posiciona no mercado cripto e te contar quais são as criptomoedas tupiniquins. Continue a leitura.

Mercado de cripto no Brasil

A América Latina experimentou um boom de criptomoedas este ano, com o Brasil liderando o pacote em termos de propriedade de ativos digitais.

O Brasil não é apenas o país mais rico da América Latina, mas também é o maior e, por sua vez, possui um dos maiores mercados de criptomoedas do mundo, negociando 100.000 BTC diariamente.

Um relatório Digital Global de 221 páginas da Hootsuite e We Are Social, revela que o Brasil é o quinto país do mundo em termos de proprietários de criptomoedas.

 O Brasil é o representante da América Latina que reúne mais proprietários ativos de criptomoedas, à frente da Colômbia (7,7%), México (5,9%) e Argentina (4%), acrescenta o relatório. O ranking é liderado pela África do Sul (10,7%), seguida pela Tailândia (9,9%), Indonésia (9,5%) e Vietnã (9,1%).

Com isso, é possível entender porque cada vez estamos desenvolvendo criptomoedas brasileiras. 

Quais são as principais criptomoedas brasileiras no mercado? 

O mercado de criptomoedas está em alta e são criadas diariamente novas moedas e isso inclui também o Brasil.

Existem muitas criptomoedas brasileiras com projetos promissores e com transparência. Cada uma com sua particularidade e proposta.

Vamos listar aqui as principais criptomoedas brasileiras presentes no mercado atual:

BRZ

A criptomoeda brasileira atingiu em setembro de 2020, um marco importante ao ser considerada uma stablecoin com o maior volume de negociações do mercado. 

A moeda conseguiu movimentar mais de R$ 620 milhões em negociações. Desde 2021 a BRZ tem integração com a blockchain Solana, considerada mais veloz e econômica do que o Ethereum. O preço atual é de R$ 0,994415 por BRZ

B2U Coin

A B2U Coin foi desenvolvida pela Bitcointoyou, sendo uma das pioneiras no mercado, com seu início em setembro de 2020. 

A criptomoeda brasileira foi inovadora para o mercado, com o objetivo de ter transferências instantâneas, sem taxas e com boa aplicabilidade em pagamentos e transições diárias. Tem o formato de um banco digital, com cartões de crédito, débito e aplicações financeiras. 

O valor da B2U Coin é de $0,30. 

Hathor

A Hathor (HTR) é uma das criptomoedas brasileiras que mais chama atenção desde 2021, pois busca simplificar o processo de lançamento de tokens e a capacidade de realizar milhões de transações por segundo. 

A corretora KuCoin listou a criptomoeda e a partir disso o volume e o valor das transações foram elevados. 

O projeto dessa criptomoeda é resolver o problema das altas taxas das transações de blockchains hibridas. Atualmente a moeda tem o valor de $0,56. 

Lunes

A Lunes é uma criptomoeda brasileira que nasceu em 2018, com o foco de oferecer autonomia para os usuários e descentralizar as transações, facilitando assim a adoção das criptomoedas. 

O funcionamento dessa criptomoeda é feito por meio de transferências ponto a ponto (P2P), que permite transações mais seguras e rápidas. 

Por ser descentralizada, é possível negociar os tokens na própria plataforma Lunes Truth. Ela também funciona como uma carteira, que permite que você armazene outras moedas digitais. 

Hoje, a criptomoeda Lunes tem um valor de $0,13 por unidade. 

WibX

A WibX utiliza a tecnologia do blockchain para aproximar clientes dos comerciantes, numa espécie de marketplace de divulgação onde é possível converter curtidas em anúncios em dinheiro para os consumidores. 

É uma forma das empresas recompensarem os clientes para promoverem seus produtos de forma informal. 

O modelo da moeda digital promove parcerias com grandes empresas como a Allianz, Petz e Picpay. Ela também é listada no Mercado Bitcoin e tem o valor de $0,007.

Bitblocks (BBK)

A criptomoeda Bitblocks surgiu em 2018 com o alvo de atingir o público de jogos e entretenimento, com ênfase em pagamentos. 

A criptomoeda utiliza de uma estrutura de recompensas, na qual as taxas de transação são muito baixas. 

A moeda valoriza muito a privacidade, ou seja, as transações podem ser feitas de forma anonima ou não, fazendo com que o pagamento de forma conjunta seja possível e com isso, que inúmeras transações sejam mescladas. 

O preço atual é de US$ 0,000417 por BBK.

Stratum Blue (BLU)

A criptomoeda é baseado na blockchain e reflete o preço de uma cesta de criptoativos. O investidor ganha exposição a outras moedas ao realizar transações. 

Essa criptomoeda brasileira funciona como um fundo de investimentos, no qual o investidor tem acesso a sua carteira e pode efetuar o resgate de quantas moedas quiser. 

É possível vender e receber as criptomoedas e o pagamento é feito em outras criptomoedas como o Bitcoin e Ethereum.  O preço atual é de US$ 0,000835 por BLU.

Niobiocash

Essa criptomoeda brasileira foi criada em novembro de 2017, sem pré mineração, ou seja, todas as moedas foram mineradas do zero. 

A criptomoeda utiliza da mesma tecnologia do Bitcoin, a mineração em Proof of Work. Além disso, conta com mais de 140 bilhões de unidades em circulação. 

5% dos retornos da moeda são retornados para a pesquisa das riquezas naturais brasileiras. Atualmente, o valor do Niobio Cash hoje está em $ 0,07.

Brazil Samba Token (BST)

A criptomoeda Brazil Samba Token tem como objetivo desenvolver o mercado de moedas digitais, blockchains e tokens por meio de financiamento coletivo. 

Ou seja, com a moeda é possível fazer uma análise de projetos que valem a pena serem financiados, com investimento seguro e boas perspectivas de crescimento. 

A moeda não é mais vendida publicamente e é listada na PancakeSwap. Sua cotação está em cerca de US$ 0,06. 

Quais são os riscos de investir em criptomoedas brasileiras? 

O principal ponto a mencionar quando tratamos de criptomoedas é que esse mercado é muito volátil, o que pode ser considerado tanto como vantagem como um risco ao investidor. É possível ter muito prejuízo sim, mas também há chances de grandes ganhos quando falamos sobre criptomoedas. 

Por ser um mercado descentralizado, ainda há uma abertura para atividades ilicitas, o que pode ser um grande risco. Por isso, é sempre recomendado que você pesquise muito antes de fazer algum investimento. 

E você, já conhecia alguma dessas criptomoedas brasileiras? Ficou com vontade de investir nesse mercado brasileiro? Conta para a gente aqui nos comentários.

Posts relacionados

Deixe um comentário