Dividendos: o que são e como lucrar com eles

10 minutos para ler

Além da possibilidade de lucrar com a valorização dos papéis no mercado, quem investe a médio e longo prazo comprando ações de uma companhia pode, também, fazer seu patrimônio render por meio dos dividendos.

A partir do momento que um investidor adquire frações de uma empresa de capital aberto, ele se torna sócio ou acionista daquele negócio e passa a ter o direito de receber parte do lucro líquido (no mínimo 25%) daquele empreendimento, o que é conhecido como dividendos.  

Para a companhia, a distribuição desses lucros atrai investidores – enquanto que, para o investidor, é uma ótima ferramenta para fazer o dinheiro render a médio e longo prazo. 

Quer saber mais sobre como os dividendos funcionam e como lucrar com eles? Continue a leitura do nosso artigo para saber mais sobre o assunto!

O que são dividendos?

Ao final de um período fiscal, as companhias de capital aberto são obrigadas, por lei, a tornarem públicos os resultados patrimoniais obtidos ao longo daquele período. Os valores, que geralmente giram em torno de milhões ou bilhões de reais, são então redistribuídos entre seus acionistas – de maneira proporcional à quantidade de papéis adquiridos por cada um dos investidores.

O pagamento dos dividendos não depende da valorização e ou desvalorização das ações da empresa, e, sim, do seu desempenho financeiro. Vale lembrar que o percentual mínimo a ser pago aos sócios consta no estatuto da companhia e o repasse é feito, geralmente, a cada semestre ou trimestre – dependendo do tipo de negócio.

Por serem isentos de imposto de renda (uma vez que as companhias já pagam impostos em suas operações), os dividendos atraem ainda mais os olhares dos investidores. Mas essa remuneração não é a única existente. Logo abaixo, você irá conhecer outros três tipos de proventos pagos pelas companhias de capital aberto.

4 tipos de proventos existentes

Proventos são os benefícios que as empresas oferecem aos seus acionistas. Dentre os tipos existentes, estão os dividendos, como vimos anteriormente – mas existem pelo menos outros três. Vamos conhecê-los? Veja:

Dividendos

Os dividendos são os proventos oriundos da Bolsa de Valores. Como sabemos, quando um investidor compra uma ação, ele passa a entrar na distribuição do lucro líquido daquela companhia.

Fica a critério do conselho administrativo de cada empresa definir quando os dividendos serão pagos. Uma vez pagos, caem diretamente na conta na corretora do investidor e fica a critério dele o que fazer com essa quantia: sacar ou investir em mais ações.

Bonificação

A bonificação é quando o provento é pago com outras ações, e vai variar de acordo com a quantidade de ativos que aquele investidor já tem da empresa: quanto mais papéis tiver, maior poderá ser a bonificação recebida.

Dividendo especial

O dividendo especial é um pagamento extra que as empresas fazem aos seus acionistas. Os motivos para isso podem ser vários, como um ganho inesperado ou um aumento de caixa na empresa.

Direitos de Subscrição

Quando a empresa emite ações, o investidor que possui direito de subscrição pode comprá-las antes do mercado ou comprá-las por um valor abaixo do mercado.  Quando esse direito é concedido, o investidor possui um prazo para decidir o que fazer: vender o seu direito ou subscrever-se.

Como se investe em dividendos?

Uma empresa que paga dividendos já é, por si só, atrativa para acionistas. Afinal, esse é um sinal de que ela é um negócio sólido, com fluxo de caixa previsível. Além disso, existem as companhias que aumentam o percentual de distribuição de lucro dos seus dividendos ao longo do tempo (pagando 25% hoje e 30% no próximo ano, por exemplo).

Aprenda alguns termos para tirar o melhor proveito possível dos seus dividendos:  

Data de Registro

Na Data de Registro é definido quem são os acionistas da empresa e, portanto, receberá procurações, relatórios financeiros e outros dados importantes para a contabilidade da organização pagar os dividendos.

Data de Declaração

É a data em que o Conselho de Administração anuncia os dividendos, comunicando o seu valor, a data de registro e de pagamento.

Data Ex-Dividendo

Normalmente, a Data Ex-Dividendo acontece dois dias úteis antes da Data de Registro. Os ex-dividendos representam a perda de direito de recebimento do dividendo. Isso quer dizer que, caso um investidor compre um ativo depois que a Data Ex-Dividendo for realizada, quem fica com os seus lucros é o vendedor daquela ação.

Índice de Cobertura de Dividendos

Serve para medir a capacidade que a empresa tem de pagar pelos seus lucros. O Índice de Cobertura de Dividendos é a relação entre o lucro líquido de uma organização e os dividendos pagos.

Planos de Reinvestimento dos Dividendos (PRD)

Ao ser remunerado por meio dos dividendos, o investidor pode optar por recebê-los de forma direta ou indireta. Nesse segundo caso, a empresa apresenta os Planos de Reinvestimento dos Dividendos, dando a opção ao investidor de aplicar a remuneração recebida em mais ações. Assim, ele não recebe o dividendo na data combinada – mas, sim, ações adicionais daquela companhia.

Os Planos de Reinvestimento dos Dividendos são uma ótima oportunidade para quem quer aproveitar o potencial de capitalização de uma empresa, principalmente porque a compra de novas ações costuma ter descontos e não ter comissões.

Como calcular dividendos

Podemos entender que o cálculo dos dividendos é feito considerando um valor por ação. É por isso que a distribuição é feita de forma proporcional à quantidade de ações que cada investidor possui em sua carteira.

O cálculo da empresa pode ser feito em cima de valores ou porcentagem. No primeiro caso, funciona assim:

Se um investidor possui 200 ações de uma companhia que paga R$3 por ação, ele vai receber R$ 600 em forma de dividendos.

Caso a empresa remunere a partir de um percentual do preço atual da ação, o cálculo é: esse percentual X valor da ação X quantidade de ações que o investidor possui. Sendo assim:

Se o investidor possui 200 ações de uma companhia que paga 3% por ação (que está, no momento em questão, sendo negociada no mercado a R$30), ele vai receber R$ 180 em forma de dividendos.

Além do cálculo dos dividendos, também é importante saber calcular o Dividend Yield de uma companhia. Logo abaixo, falaremos mais sobre ele.

O que é Dividend Yield?

O Dividend Yield é uma ótima ferramenta para comparar o rendimento do dividendo das empresas. Ele é um índice feito para medir esses rendimentos em um dado período de tempo.

Portanto, quanto maior o Dividend Yield, mais proventos aquela empresa distribui. Esse índice mensura o retorno da ação de acordo com o provento pago. A equação para obtê-lo é:

  • Dividendos pagos por ação / cotação atual da ação = Dividend Yield

O que é uma carteira de dividendos

Assim como quem investe em ações monta uma carteira de investimentos, quem deseja investir em companhias que pagam dividendos também deve montar uma carteira que conte com empresas diferentes.

A ideia é a mesma: potencializar as chances de ganho e minimizar riscos. Por isso, uma boa carteira de dividendos deverá contar com ações de diferentes companhias que remunerem bem seus acionistas.

Como montar a melhor carteira de dividendos?

Interessou-se por esse tipo de investimento e quer saber como montar uma boa carteira de dividendos para atuar de forma mais assertiva no mercado? Veja as dicas que temos para te ajudar:

Analise bem a empresa e não apenas o Yield

O Dividend Yield é uma ótima ferramenta para auxiliar o investidor que está montando sua carteira de dividendos – mas vale lembrar que ela não é a única. Por isso, leve em consideração também outros quesitos, como as perspectivas para a empresa de maneira geral.

Em outras palavras: não compre ações só porque o Yield é alto. Afinal, existem empresas que oferecem dividendos altos porque as ações em si estão em baixa. Fique de olho! Outras análises são fundamentais: conheça o histórico de pagamento e a solidez da empresa, considere se ela tem uma boa gestão de caixa e como anda o preço de suas ações no mercado, por exemplo.

Atenção à data de pagamento

Preste atenção na data da declaração da empresa na qual você está querendo investir. O período de pagamento de dividendos das instituições varia de uma para a outra.

Os bancos, por exemplo, geralmente pagam dividendos mensalmente, mas outras empresas pagam trimestralmente, semestralmente, anualmente… conhecer essas datas é fundamental para que você estruture a sua carteira de acordo com os seus objetivos e o seu perfil de investidor.

Planeje a sua carteira a longo prazo

Dividendos só são distribuídos de tempos em tempos. Portanto, o seu foco ao fazer uma carteira de dividendos deve ser em ações de médio e longo prazo.

Dessa maneira, você não precisa se preocupar com as oscilações do mercado. O que interessa aqui é a distribuição dos benefícios do lucro líquido da empresa e não a variação dos seus ativos.  

Diversifique os seus investimentos

Monte uma carteira de investimentos variada. Mas tenha cuidado, e não compre mais ações do que você consiga estudar, revisar e analisar ao investir

Varie também o setor em que você vai investir, dessa forma é possível diluir os riscos caso algum setor seja afetado negativamente durante um determinado período.

É possível viver de dividendos?

Afinal, dá para viver do pagamento de dividendos – assim como os traders fazem por meio da compra e venda de ações no mercado? Se você chegou até aqui, muito provavelmente deve estar se fazendo essa pergunta. A resposta para ela é positiva: é, sim, possível – desde que você tenha muita disciplina e faça um bom planejamento dos seus recursos.

Vale lembrar que, por serem frações do lucro líquido divididas entre os sócios de uma companhia, o valor dos dividendos por ação acaba sendo baixo. Então, quanto mais ações o investidor tiver, maiores serão suas remunerações.

Além disso, os dividendos são pagos apenas ao fim do ano fiscal da empresa, por isso, não dá para contar com eles o ano todo.  Mas se o seu objetivo é fazer o seu dinheiro render a longo prazo – sem esquecer da importância de se planejar e persistir! – poderá alcançar o patamar de viver da remuneração dos dividendos.

Conseguiu entender melhor o papel dos dividendos e como lucrar com eles? Se cadastre em nossa newsletter e acompanhe de perto os conteúdos sobre o mercado financeiro!

Posts relacionados

Deixe um comentário