ICO ICO

ICO: conheça tudo sobre oferta inicial de ativos virtuais

8 minutos para ler

Quando uma empresa abre seu capital e lista suas ações em uma bolsa de valores, ela realiza um IPO como forma de arrecadar fundos. De modo semelhante, uma empresa de tecnologia, faz um ICO para financiar a criação de uma nova criptomoeda, aplicativo ou serviço com um projeto de blockchain.

Neste artigo, iremos te explicar o que é o ICO, essa iniciativa representa uma oportunidade de investimento para os entusiastas cripto, como funciona e como você pode fazer para participar!

Boa leitura!

Antes de falar especificamente do ICO, é importante compreender o que é uma criptomoeda, uma nova modalidade de  moeda digital, que  tem a mesma função que as moedas físicas. 

Contudo, as moedas virtuais são descentralizadas, ou seja, não são controladas por uma instituição governamental. A validade das negociações realizadas com elas ocorre por meio de cálculos complexos, feitos por computadores interligados ao redor do mundo.

O que é ICO?

Assim como na bolsa de valores, em que as empresas fazem as ofertas públicas para vender suas ações e abrir seu capital para investidores, essa atividade é conhecida como IPO – Initial Public Offerings,que significa oferta pública inicial. 

No mundo dos criptoativos existe o ICO – Initial Coin Offering, que significa oferta inicial de ativos virtuais, que nada mais é que colocar à venda novos criptoativos com o objetivo de arrecadar fundos para um projeto baseado em blockchain.

As primeiras ofertas de ICO foram para o lançamento de novas moedas digitais e serviços como a NXT, NEO (antiga Antshares) e a tão conhecida Ethereum. Ou seja, determinado grupo de pessoas criava um novo criptoativo e o disponibiliza ao público por meio de um ICO para ser comprado com o objetivo de que valorizasse ao longo do tempo. 

Com os ICOs abriu-se a possibilidade para essas ofertas captarem recursos para um projeto que tenha como fim não a moeda em si, e cujo ativo de “troca” para o investidor possa ser um token que no universo cripto eles são usados para representar um ativo, que pode ser uma moeda, um contrato, uma propriedade ou a promessa de um produto.

Etapas de um ICO

O lançamento de uma oferta inicial de ativos virtuais se dá nas seguintes etapas: 

A primeira é pelas exchanges, corretoras especializadas em criptoativos. 

Outra é por meio de plataformas de lançamento de ICOs, como a Coin List, por exemplo.

Uma terceira possibilidade é fazer o lançamento de maneira independente, através de um site próprio do projeto, uma vez que a oferta inicial de moedas não é regulada por uma autoridade central.

Após o lançamento do Whitepaper,  há a abertura da oferta inicial: a proposta é realizada por uma empresa, e quem se interessa pode reservar ou comprar seu token. A forma de pagamento pode ser em criptomoedas ou em moedas tradicionais como dólar.

Após o encerramento da oferta inicial,  o capital obtido é avaliado e a empresa comunica se foi atingido o valor pretendido. Se não, quem contribuiu recebe de volta o valor investido;

Atingindo o valor esperado, acontece a distribuição de tokens e os interessados no investimento têm acesso a seus tokens que podem ser guardados em carteiras virtuais (wallets) ou comercializados em Exchanges.

Exemplos de ICOs

Conheça os três principais ICOs que fizeram história devido a sua importância e seus impactos no mercado.

NXT 

Foi um dos primeiros ICOs e um dos mais rentáveis da história. Segundo o Coin Telegraph, o valor do NXT em seu lançamento era de apenas US $0,0000168, e o desenvolvedor conseguiu levantar quase US $17 mil em 21 bitcoins. Ao fim de novembro de 2013, a Nxt tinha um market cap (valor de mercado) de US $800 mil.

Ethereum 

Esse ativo virtual se tornou a segunda maior criptomoeda do mundo como também revolucionou a forma de se fazer ICOs. A blockchain facilitou a criação de novas ofertas iniciais de ativos virtuais e abriu o horizonte para a criação e comercialização de qualquer tipo de token, com seu protocolo aberto a qualquer programador.

 Em 2016, a plataforma foi hackeada e foram roubados US $50 milhões em Ether. Para contornar a situação, a blockchain foi separada em duas: a nova, Ethereum (com a moeda ETH) e a original, que seguiu como Ethereum Classic (ETC).

Celsius 

Este é um exemplo de ICO possibilitado pela criação do Ethereum. O foco do projeto não era a criação de uma moeda (a CEL), mas a de uma plataforma de empréstimos em criptoativos. 

Essa oferta inicial tinha um plano sólido para a proposta de valor da CEL: foi criada uma estrutura para que o investidor depositasse os  ativos virtuais e pudesse ter acesso a linha de crédito, taxas atraentes de juros, além de um cartão de crédito. O ICO da startup arrecadou US $50 milhões em criptoativos, de acordo com a Coindesk, e a plataforma hoje tem mais de um milhão de usuários.

Como participar de um ICO

Uma vez escolhido o ICO, o sistema de listagem das ofertas indica as instruções da plataforma onde acontecerá o investimento. No caso de uma operação independente, lida-se diretamente com o time de desenvolvedores.

 Isso pode acontecer na exchange ou na plataforma de lançamentos, onde se investe em criptomoedas em troca de tokens, seja imediatamente ou numa data futura.

Na prática, quando o token é novo, não tem como trocar durante um tempo. Lentamente, ele vai surgindo em algumas exchanges. E quando anunciam que vão colocar determinado token no sistema, o valor começa a subir. Significa que eles acreditam naquela moeda.

Vantagens e riscos dos ICOs

Vantagens

O ICO é uma oportunidade atraente para pequenos empreendimentos conseguirem investimentos para lançar seus projetos de criptoativos. 

Além disso, as ofertas iniciais normalmente são feitas a preços baixos para compensar o grau de risco e volatilidade das operações, o que aumenta o potencial de retorno.A Solana, por exemplo, foi lançada a US$ 0,22 em abril de 2020 e, no início de setembro de 2021, valia US$ 208.

Outro ponto positivo é que não há restrição geográfica, como é o caso dos IPOs e a criação de uma comunidade. Outra  principal vantagem é a base tecnológica de uma oferta primária de tokens, que permite fazer as emissões com menor custo, maior rapidez, facilidade e sem burocracia. Tornando a gestão dos tokens mais simples após a emissão, em comparação com os títulos comuns.

Risco

Um dos principais riscos desse tipo de investimento é a liquidez, isso porque, há chance de não se encontrar um comprador para certa quantidade da moeda ao preço cotado em mercado. Isso pode limitar a possibilidade de se converter o ativo em moeda fiduciária.

Para algumas pessoas, a custódia dos ativos virtuais pode representar um risco, com exposição a ameaças relacionadas ao armazenamento de senhas de criptografias e de custódia. Existem casos de perda de Bitcoins e outros criptoativos, em razão do desaparecimento de senhas ou devido a ataques a carteiras pouco seguras.

Por fim, há notícias de manipulação de preços, por meio de esquemas organizados de divulgação de boatos e notícias falsas, com o intuito de inflar os valores dos ativos, atividade conhecida como pump & dump, que é um golpe praticado por  uma pessoa ou um grupo (geralmente organizado), que compra grandes quantidades de alguma ação de baixo valor e baixa liquidez e começa um intenso movimento de tentar, artificialmente, aumentar o preço dos papéis e espalham boatos sobre a empresa, visando criar a expectativa de que ela terá um bom desempenho e que suas ações vão seguir trajetória ascendente.

Assim, outros investidores começam a comprar as ações e o preço sobe. Neste momento, os autores do golpe vendem todas aquelas ações que foram compradas previamente com lucro e derrubam a ação a níveis abaixo do comprado pelos golpistas que conseguem um bom lucro no esquema.

Vale a pena entrar em um ICO?

Assim como grande parte das perguntas sobre investimentos, a resposta, nesse caso, é “depende” do seu perfil de investidor e seus objetivos. Entrar em um ICO pode valer a pena se o valor investido, em caso de perda, não fizer falta, ou seja, você pode correr este risco.

Outro ponto é fazer a “lição de casa”: se certificar de que o time de desenvolvedores existe de fato, se a proposta de valor da moeda tem base sólida, se faz sentido para o investidor possuir o token, se o projeto tem potencial de crescer e trazer retorno aos investidores.

Seguindo todas essas dicas, é possível que você invista em um ICO que te dê um retorno lucrativo! Agora que você sabe o que é um ICO, conta para a gente aqui nos comentários o que você acha que este tipo de investimento vale a pena para o seu perfil? Qual tipo de produto ou moeda você investiria nesta oferta virtual?

Posts relacionados

Deixe um comentário