investir na bolsa de valores investir na bolsa de valores

Dicas para investir na Bolsa de Valores e 8 erros para evitar

9 minutos para ler

O número de pessoas físicas ativas na Bolsa de Valores vem aumentando a cada ano: só em 2020, dobrou; e, em 2021, ultrapassou a casa dos 3,5 milhões de investidores.

Para entrar no mercado financeiro potencializando ganhos e minimizando riscos, no entanto, é necessário ter um mínimo conhecimento do assunto. No final das contas, é como aprender a andar de bicicleta: é preciso paciência, persistência, disciplina e cautela e, de preferência, alguém para te auxiliar, principalmente no início. Até dá para começar sozinho, mas fica bem mais fácil com o apoio de quem já sabe como funciona.

Com esse artigo, nosso objetivo é ajudá-lo nesta jornada. Para conferir algumas dicas para investir na Bolsa de Valores e ficar por dentro dos principais erros cometidos por investidores iniciantes (e não cair em nenhum deles) basta continuar a leitura!

Entenda seu perfil de investidor

Também chamada de suitability, a análise de perfil de investidor é uma ferramenta extremamente importante para qualquer pessoa que deseje investir na Bolsa de Valores. Isso porque, por meio dela, é possível identificar características comportamentais – e consequentemente, os produtos mais adequados para cada tipo de perfil.

A análise é realizada a partir de um formulário simples, fornecido pelas corretoras, a fim de classificar os investidores em três categorias: conservadores, moderados ou agressivos.

Um investidor mais conservador pode não suportar perdas em busca de maiores rentabilidades – ao mesmo tempo, um investidor arrojado não ficaria muito satisfeito em fazer operações com rentabilidade menor para obter mais previsibilidade.

É por isso que levar em consideração o seu perfil de investidor na hora de fazer um investimento é muito importante. Caso contrário, você pode se frustrar com o mercado.

Defina um prazo para suas operações

Além da análise do seu perfil de investidor, outra questão deve ser levada em consideração: o prazo das operações. Em linhas gerais, investimentos com um horizonte de tempo de até um ano são considerados de curto prazo.

Na Bolsa de Valores, geralmente quanto maior o prazo de investimento, melhores e mais reais são as possibilidades de ganho. Isso porque, ao comprar ações, por exemplo, nos tornamos sócios de uma empresa – e nossa rentabilidade caminha acompanhando o ritmo de crescimento daquela instituição (o que não acontece do dia para a noite!).

Além disso, o preço das ações também varia a partir das tendências de mercado. Isso é, quanto mais tempo deixamos nosso dinheiro investido, mais nos protegemos da volatilidade do mercado financeiro.

Tenha objetivos claros em mente

Antes de decidir em quais ativos você irá investir, tenha clareza dos seus objetivos. Quais são suas metas a curto, médio e longo prazo? Seu perfil de investidor está alinhado à estratégia escolhida e ao horizonte de tempo que você tem em mente para operar?

Faça essas perguntas e se questione, também, sobre o seu momento de vida. Você pretende se preparar para a aposentadoria? Adquirir uma casa própria? Quais as chances de você precisar do dinheiro no curto prazo?

Alinhe suas expectativas consigo mesmo!

Abra sua conta em uma corretora

Para começar a investir, você também precisará ter uma conta aberta em uma corretora de valores de confiança. É por meio dela que serão feitas as transações a partir das operações que você realizar na Bolsa de Valores.

Por isso, pesquise a melhor corretora para você – afinal, ela é a porta de entrada para o mundo dos investimentos.

8 erros de investidores iniciantes

  1. Não acompanhar o mercado financeiro

Negligenciar a importância das informações é um erro grave no início da jornada de muitos investidores. Portanto, vamos começar por aqui: não caia nessa de investir sem conhecer a dinâmica do mercado.

A Bolsa de Valores possui uma forma de funcionamento própria e você precisa entender como ela funciona. Com isso, conhecimento é fundamental para se obter bons resultados.

Quem entra de cabeça no mercado sem estudar (tanto a Bolsa de Valores quanto as empresas nas quais se pretende investir) corre sérios riscos de perder muito dinheiro. Se você está começando agora, buscar conhecimento é essencial.

Entender os riscos das operações e saber como gerenciá-los, calcular rentabilidades e acompanhar as tendências de mercado também é fundamental nesse processo.

Para receber toda semana as últimas notícias do mercado em seu e-mail, é só se inscrever em nossa newsletter. É tudo gratuito!

baixar simulador de investimentos na bolsa gratuitamente
  1. Ter excesso de confiança

Mesmo que você esteja estudando e acompanhando o mercado com regularidade, não vá com muita sede ao pote. Esse tipo de postura não costuma trazer bons resultados. Paciência é um segredo importante para quem almeja bons resultados!

Até os experts na Bolsa precisam ter muita cautela para não se animarem demais e deixarem o excesso de confiança falar mais alto, principalmente quando essa confiança está relacionada ao assunto que falaremos nos próximos tópicos: quantias muito grandes. Mantenha o controle emocional!

  1. Querer retorno rápido

Muita gente pensa que basta entrar na Bolsa de Valores para começar a ganhar (muito) dinheiro. Só que, mesmo com as oscilações e oportunidades do mercado, alguns ativos nem sempre têm um rendimento tão alto assim.

Ainda que você só compre ativos de empresas já consolidadas, o resultado na Bolsa de Valores aparece com o tempo e com a consistência das suas operações. Portanto, não deixe que a sua ansiedade interfira no timing mais assertivo para comprar e vender ações.

Além disso, vale lembrar que operações a curto prazo – como ocorre no day trade, por exemplo – apesar de atrativas pelas possibilidades de ganho altas, trazem consigo riscos igualmente altíssimos.

  1. Tratar o investimento como um jogo de azar

Investir na Bolsa de Valores não funciona na base da aposta e nem é um jogo de sorte ou de azar. Muito pelo contrário, esse tipo de investimento requer estudo e táticas baseadas em dados e informações de confiança.

Mais uma vez: pratique o controle emocional e não tente fazer nada se baseando em “sexto sentido”. Contar com a sorte para tomar decisões no mercado é o mesmo que potencializar seus riscos. Volte-se para análises e prepare suas decisões com seriedade!

  1. Não seguir uma estratégia

Complementando o tópico acima, é preciso ter uma estratégia consistente para investir na Bolsa de Valores. Seu objetivo é investir a médio ou longo prazo? Garantir rentabilidades mais altas, ou prezar por mais segurança em seus investimentos? Defina o caminho que você pretende trilhar (sempre alinhado ao seu perfil e às suas características), e guie seus passos a partir disso.

O ponto importante é: independente do que aconteça, não vá pelo “efeito manada”. Isso quer dizer, não tome uma atitude só porque é o que a maioria das pessoas está fazendo. No mercado financeiro, precisamos ser resilientes – e isso exige que nos mantenhamos firmes à nossa própria estratégia.

Lembrando que a sua estratégia pode sim ser modificada ao longo do tempo, de acordo com o que fizer mais sentido para você no momento. A questão é: não tome suas decisões guiado apenas por tendências.

  1. Colocar todo o seu dinheiro na Bolsa

Muitas pessoas se empolgam muito com as possibilidades de ganho e já querem começar investindo grandes quantias ou até mesmo tudo o que têm. Não caia nesse erro!

Se você está começando a investir em renda variável, não faça operações com grandes quantias logo de cara. Como você ainda não tem muita experiência, alguma operação pode não terminar como você planejou – e seu prejuízo poderá ser grande demais.

Comece investindo pouco e, à medida que for ganhando experiência e confiança, você vai aumentando o valor investido (sempre respeitando seu perfil e seguindo suas estratégias individuais!).

  1. Não considerar os custos das operações

Um outro erro clássico é ignorar os custos das operações. As pessoas costumam não se preocupar, por exemplo, com os custos de corretagem, emolumentos e impostos, como o imposto de renda.

Mesmo que você saiba calculá-los, essa tarefa pode acabar caindo no esquecimento – ou, ainda, sendo negligenciada (afinal, o lucro bruto potencial chama muito mais a atenção, não é mesmo?). 

Se você não sabe o custo total das suas operações, provavelmente não conseguirá também calcular seus ganhos ou perdas com clareza. 

  1. Comprar ou vender ativos sob pressão

Essa última dica está também relacionada ao tópico 2: mantenha o controle emocional. É muito importante procurar (e encontrar!) o equilíbrio entre acompanhar as tendências do mercado e se manter firme às suas estratégias.

O primeiro passo aqui é não operar sob pressão e no calor do momento. A Bolsa de Valores é muito volátil, portanto, mudanças serão uma constante por lá. Acostume-se com isso e se organize para, sempre que necessário, rever estratégias e fazer operações com bastante calma e assertividade.

Investir na Bolsa de Valores é como andar de bicicleta

Esses 8 erros listados anteriormente são muito comuns quando começamos a investir na Bolsa. Mas não se preocupe, agora você conhece os principais e está preparado para evitá-los.

Um caminho para tornar sua jornada no mercado financeiro mais proveitosa e descomplicada é treinar bastante suas habilidades como investidor. Ah, e há uma forma de fazer isso sem que você precise se preocupar com o seu dinheiro de verdade: por meio dos simuladores da Bolsa de Valores. Para começar agora mesmo a praticar, basta baixar o simulador da Vexter gratuitamente.

Posts relacionados

Deixe um comentário