Quais os melhores investimentos para quem está começando?

Tempo de leitura: 6 minutos

Lembre-se de que a inflação e outros fatores fazem com que os preços fiquem mais caros. Com a perda do poder de compra, você não se precaver, pode acabar ficando no prejuízo. 

Dessa forma, o mais importante é recorrer aos investimentos. Uma das formas de investir é  emprestar seu dinheiro a uma instituição e ter a quantia de volta, acrescida de juros que, preferencialmente, sejam acima da inflação.

Há um grande leque de opções disponíveis no mercado atual; para auxiliar com que seus projetos que envolvem recursos financeiros se tornem realidade. Porém, antes de começar, é preciso conhecer as diferentes possibilidades de aplicações e com quem você pode contar nesse processo.

Quais os melhores investimentos para quem está começando? Continue a leitura e descubra!

A Poupança é uma boa escolha?

A Caderneta de Poupança é uma aplicação muito tradicional no Brasil, mas atualmente não tem tido uma rentabilidade significativa.

Em resumo, o rendimento da poupança é previamente estabelecido pelo governo brasileiro. Desde 2012 existe uma regra que determina que, quando a taxa básica de juros, a Selic, estiver abaixo de 8,5% ao ano, o rendimento da Poupança será de 70% da Selic mais uma taxa conhecida como referencial (TR).

Ao superar os 8,5% ao ano, a Selic faz com que o rendimento da Poupança seja de 0,5% ao mês mais a TR.

Significa que, de qualquer forma, no atual cenário, a Poupança tem uma rentabilidade baixa comparada a outros investimentos disponíveis, que funcionam de acordo com regras muito mais interessantes para o investidor.

Para se aprofundar no assunto, leia nosso post Entenda como funciona o rendimento da poupança e por que ele é considerado baixo. 

Como alinhar o investimento ao seu perfil

Como já falamos, existe uma oferta vasta de opções para quem pretende começar a investir. Nos últimos anos, parte dos melhores investimentos até então restritos ao universo dos bancos, migrou para corretoras independentes, dentro de um processo conhecido como desbancarização.

Assim, ficou mais fácil para o investidor ter acesso a soluções mais interessantes para ele e não somente para as instituições financeiras.

Entretanto, para fazer a escolha certa dentre as opções que o mercado apresenta, o mais importante é identificar o próprio perfil como investidor. É isso o que fará você entender qual é o nível de risco que você pode se expor e a rentabilidade que você buscará nos investimentos.

Você identifica o seu perfil de investidor quando faz a análise de quais são os objetivos financeiros e também dos seus limites de perda objetivos. Em função disso, será necessário saber se você é conservador, moderado ou arrojado/agressivo.

Geralmente, o investidor conservador tem foco em renda fixa. O moderado se divide entre renda fixa e variável. O arrojado/agressivo é aquele que está disposto a correr mais riscos em busca de melhores resultados, podendo atuar em todos os tipos de mercados.

Powered by Rock Convert

Quais os melhores investimentos para cada perfil?

Falaremos agora sobre os melhores investimentos para cada perfil, porque é essa reflexão que te fará entender as condições ideais para investir. Para o conservador, o ideal é não correr maiores riscos, tendo foco em soluções como o Tesouro Direto, CDBs e Letras de Crédito. O motivo está na segurança e na possibilidade de se ter alta liquidez com esses ativos.

Já o investidor identificado como moderado não precisa tanto de alta liquidez, podendo então valorizar mais a rentabilidade. Nessa lógica, ele pode investir em soluções conservadoras, mas também recorrer a opções como os fundos imobiliários, fundos multimercados a até mesmo uma parcela de seu patrimônio em ações.

Por sua vez, o arrojado/agressivo é aquele que está disposto a correr os maiores riscos em busca de rentabilidade. Assim, ele pode diversificar a sua carteira optando pelos investimentos que conservadores e moderados fazem, mas também pode ir além, recorrendo a todos os ativos de renda variável. Para tanto, os melhores investimentos estão na Bolsa de Valores e nos contratos futuros.

O que é preciso para começar a investir?

Até a pouco tempo atrás, para investir, ou era preciso entender muito do assunto ou era necessário transferir toda a responsabilidade para um especialista. Essa disparidade pode ser relacionada ao papel centralizador dos bancos nesse processo, tornando o acesso à informação mais complexo e, aos produtos financeiros, mais caro.

Com a desbancarização, você já não precisa ser nem confiar todas as decisões a um especialista para começar a investir o seu dinheiro. Hoje em dia, as informações são mais acessíveis e existem inúmeras ferramentas fornecidas pelas corretoras e produzidas pelas fintechs para auxiliar nos investimentos. 

Independente do seu perfil, o mais importante é dar o primeiro passo para ir em busca de resultados.

Você tem a autonomia de abrir uma conta em uma corretora  e escolher onde colocar o seu dinheiro em busca dos melhores investimentos, não importa se é em renda fixa ou em renda variável.

Muitas oferecem uma análise de perfil logo que você abre sua conta. Dessa forma, é possível direcionar adequadamente a oferta de ativos para gerar melhores resultados. 

Por onde começar?

Muitas pessoas, por crerem que não têm conhecimento suficiente ou tolerância a perdas, podem se sentir mais confortáveis começando pela renda fixa. Tudo vai depender do seu perfil de investidor, como mencionamos. 

Para saber mais e descobrir qual é o seu perfil, clique aqui

Dentro da renda fixa, soluções como o Tesouro Direto, por exemplo, estão entre os mais populares, porque são fáceis de serem manejados e estão ao alcance de todos. você só precisa se cadastrar em uma plataforma e escolher a opção mais interessante. Entre elas estão o Tesouro Selic, que acompanha a evolução da taxa básica de juros, o Tesouro IPCA+, que segue a inflação no país, e o Tesouro Prefixado, que tem seu resultado final previamente determinado.

CDBs, LCIs e LCAs também são de fácil acesso, podendo ter origem nas mais diversas instituições privadas. Vale a pena saber mais detalhadamente sobre cada um deles e como podem fazer o seu dinheiro render. Para adquirir, é necessário apenas ter o cadastro em uma corretora de valores. De qualquer forma, como entrada no universo dos investimentos, a renda fixa se apresenta como uma solução rápida, fácil e econômica, capaz de gerar resultados consideravelmente melhores do que os da Poupança.

Por outro lado, se você, após conhecer seu perfil, tem interesse nas possibilidades de ganhos que a renda variável oferece mas receio por não ter experiência no mercado financeiro, acesse nosso post Investir na bolsa é menos complicado que parece. 

Você vai entender que investir em renda variável com suporte e ferramentas adequadas é bem mais fácil. Ficou alguma dúvida? Fale com a gente nos comentários! 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *