etf etf

O que são ETFs?

8 minutos para ler

Bem desenvolvidos no mercado externo, os ETF (Exchange Traded Fund) – ou, em português, fundos negociados na Bolsa de Valores – começaram a ganhar evidência e relevância no Brasil recentemente. Na prática, eles nada mais são do que um tipo de fundo de investimento que pode ser negociado na B3, da mesma forma como ocorre com as ações.

Diversos novos ETFs foram lançados nos últimos anos e o volume de negociações também cresceu bastante. Em 2020, as apostas dos investidores em fundos referenciados em índices que atendam a critérios ambientais, como o Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) e o Environmental, Social and Governance (ESG), praticamente dobraram – mesmo em meio à pandemia.

Então, se você já está investindo (ou pretende começar a investir) em renda variável, apostar nos ETFs pode ser uma boa ideia. Nesse artigo, vamos te mostrar as possibilidades de ganho com esse tipo de operação e como ela ocorre na prática. Continue com a gente!

O que são ETFs?

O mercado financeiro conta com uma série de índices, que são métricas de desempenho divulgadas pela Bolsa de Valores a partir dos resultados do pregão. Por meio desses índices, é possível avaliar os resultados de segmentos específicos do mercado em dado período. Essa é uma boa maneira de se associar a instituições tidas como as melhores dentro de determinada categoria – como as que mais vêm se destacando e as mais rentáveis, por exemplo.

Dentre os índices nacionais mais conhecidos estão o Ibovespa (BOVA11), o IBrX e o Small Caps – e cada um deles possuem ETFs específicos que acompanham a performance desses ativos na Bolsa de Valores. Com o lançamento de novos ETFs nos últimos anos, outros índices começaram a se destacar também, como o Índice de Governança Corporativa (IGC), Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) e o Environmental, Social and Governance (ESG).

Vale lembrar que as cotas de ETFs são negociadas na B3 como se fossem ações, o que quer dizer que podem oscilar de acordo com o desempenho dos papéis e também a partir da tendência de negociações de compra e venda das cotas no mercado.

Exemplos de ETF negociados no Brasil

Em dezembro de 2020, a B3 lançou pelo menos 37 BDRs – Brazilian Depositary Receipts – de ETFs. Dessa forma, é possível investir em fundos de investimentos de mercados estrangeiros, como o europeu, americano e chinês, sem precisar sair da Bolsa de Valores brasileira.

Inicialmente, apenas grandes investidores podiam adquirir os BDRs de ETFs, mas com as novas atualizações da B3, agora qualquer investidor da Bolsa pode investir nesses ativos. Conheça cada um deles abaixo:

ETFCódigo
CORE MIDCAPBIJH39
CORE SP 500BIVB39
CORE SP TOTABITO39
COREMSCI EMKBIEM39
COREMSCI EURBIEU39
COREMSCIEAFEBIEF39
CORESMALLCAPBIJR39
GLOBAL INFRABIGF39
GOLD TRUSTBIAU39
INC ESG AWARBEGE39
LATIN AMER40BILF39
MSCI ACWIBACW39
MSCI ASIA JPBAAX39
MSCI BRAZILBEWZ39
MSCI CHINABCHI39
MSCI EAFEBEFA39
MSCI EMGMARKBEEM39
MSCI GERMANYBEWG39
MSCI INDIABNDA39
MSCI JAPANBEWJ39
MSCI MEXICOBEWW39
MSCI SPAINBEWP39
MSCI TAIWANBEWT39
MSCI UKBEWU39
MSCI US MVOLBUSM39
MSCIEUROZONEBEZU39
MSCIHONGKONGBEWH39
MSCISOUTHKORBEWY39
NASDAQ BIOTCBIBB39
RUSSELL 2000BIWM39
SELECT DIVIDBDVY39
SILVER TRUSTBSLV39
TRTMSCI EAFEBEGD39
TRUSTMSCI USBEGU39
US AEROSPACEBAER39
US FINANCIALBIYF39
US TECHNOLOGBIYW39

ETFs brasileiros

Além dos BDRs, existe também uma grande variedade de ETFs no mercado brasileiro. Os que possuem índices referenciados em renda variável são os mais comuns, mas também existem os que utilizam moedas, commodities e títulos públicos como referência: o IMA-B, que acompanha o rendimento dos títulos do Tesouro IPCA, é um exemplo.

O mais famoso é o BOVA11, um ETF que lastreia o índice Ibovespa. Isso significa que ele reúne ativos das empresas com maior negociabilidade na Bolsa de Valores. Periodicamente, esse ETF tem sua composição modificada, uma vez que o índice costuma ter sua composição de ativos alterada a cada 4 meses.

Outro ETF disponível é a Small 11, que tem como referência o índice Small Cap. Este produto está relacionado, portanto, à performance das ações com menor capitalização da Bolsa. Ou seja, neste investimento, você monta uma carteira com foco em empresas de menor porte, mas com um histórico de bons resultados.

O BRAX11 é outro tipo de ETF baseado no índice Brasil ou IbrX 100. Reflete o desempenho de uma carteira composta pelos 100 ativos com maior volume de negociações dentro da B3, tanto em quantidade quanto em volume financeiro.

Cada ETF demanda um valor mínimo de investimento que dependerá do valor de cada cota, que depende do índice envolvido. A título de exemplo: a cota do Small 11, em 05 de janeiro de 2021, custava R$ 133,77, enquanto a cota do BOVA11 saía a R$ 114,69.  

Qual a diferença entre ETFs e fundos de investimento?

Apesar de parecidos, os ETFs e os fundos de investimento tradicionais contam com pelo menos três características distintas: a gestão, a forma de realizar o investimento e de acompanhar o seu desempenho.

baixar simulador de investimentos na bolsa gratuitamente

Como os ETFs lastreiam índices, os gestores desse tipo de fundo atuam de forma passiva, replicando o desempenho dos ativos de referência – enquanto que os gestores de fundos tradicionais atuam ativamente em busca de oportunidades de ganhos acima dos índices de referência.

Além disso, os fundos de investimentos podem ser adquiridos diretamente nas corretoras de investimentos, tendo as informações sobre a rentabilidade disponibilizadas pela CVM e ANBIMA. Os ETFs, por sua vez, são negociados no pregão da B3 e o seu desempenho pode ser consultado em tempo real.

Por que investir em ETFs?

Facilidade para investir

As cotas são fáceis de investir por estarem disponíveis na Bolsa de Valores e acessíveis via Home Broker. E você não precisa se preocupar com os detalhes técnicos, porque há um gestor responsável por fazer todo o trabalho de replicar o índice ou o ativo de referência.

Diversificação da carteira

Outro ponto positivo do ETF é dar ao investidor a possibilidade de diversificar a sua carteira, investindo em empresas de diferentes segmentos. Qual é a importância disso? Mesmo que um segmento empresarial esteja se desvalorizando economicamente em dado período, não quer dizer que todos os outros ativos serão afetados. Assim, o investidor dilui os riscos envolvidos nas operações.

Acesso às principais empresas do mundo

A maior vantagem é poder participar do negócio das principais empresas – nacionais e estrangeiras – listadas nos índices. Ao comprar a cota, você não precisa investir individualmente nas ações de cada uma dessas instituições.

Além disso, os ETFs acompanham índices de Bolsas de Valores, sendo possível comprar fundos que acompanham a performance de índices internacionais. Um exemplo é o ISHARES S&P 500 ou IVVB11, que utiliza como espelho o índice norte-americano S&P 500 e busca retornos equivalentes à performance do S&P 500 em moeda brasileira. Este ETF engloba as ações das 500 maiores empresas dos Estados Unidos, incluindo na composição Facebook, Amazon, Microsoft, Apple, Google.

Como escolher o melhor ETF

Investir é algo muito pessoal, então, todas as decisões devem ser tomadas levando em conta o seu perfil de investidor, suas características e seus objetivos a curto, médio e longo prazo.

Analisar esses pontos é fundamental para entender sua aversão aos riscos e, o mais importante: minimizá-los sempre que possível. Além disso, é sempre válido lembrar que, em qualquer negociação financeira, quanto maior a rentabilidade de um fundo ou ativo, maiores são os riscos envolvidos também.

Outro ponto que merece atenção: além da rentabilidade, o investidor deve levar em consideração a liquidez dos investimentos, responsável por indicar a facilidade para comprar e vender os ativos.

Especialistas apontam que, para 2021, investir em ETFs, por si só, segue sendo uma ótima alternativa para investidores que apostam em renda variável. Alguns ETFs que possuem boas perspectivas são o IVVB11 (para lastrear empresas americanas), BOVA11 (índice Ibovespa), BRAX11 e SMAL11, por exemplo.

Passo a passo para investir em ETF 

1- Compare as taxas de administração e corretagem

Fique atento aos custos de compra e venda, pois podem envolver corretagem, que é uma taxa que cada corretora cobra para esse tipo de operação. Além disso, podem ser cobrados emolumentos, que são taxas da Bolsa de Valores, além de impostos de Renda (IR) e Sobre Serviços (ISS). 

Também há a cobrança da taxa de administração. Portanto, vale a pena comparar essa taxa entre dois ETFs que acompanhem o mesmo índice.

2- Abra sua conta em uma corretora de investimentos

Cadastre-se em uma plataforma de investimentos para comprar e vender os ativos por meio do seu Home Broker, um recurso que tem sido aperfeiçoado para facilitar esse tipo de investimento. Para tanto, é recomendável trabalhar com soluções como o simulador de investimento, pois, assim, fica fácil adquirir familiaridade com tudo o que diz respeito à renda variável. 

Entendendo um pouco mais sobre os diversos tipos de investimentos existentes, você amplia o seu leque de possibilidades no mercado financeiro. Esse é um diferencial que o investidor bem instruído tem na busca por melhores resultados.

Posts relacionados

Deixe um comentário