operar vendido operar vendido

Saiba como operar vendido e lucrar na queda de ações

6 minutos para ler

Lucrar com a alta dos ativos na Bolsa de Valores não é novidade para ninguém, mas explorar as oportunidades de ganho com a queda do mercado ainda é um assunto que desperta curiosidade em muita gente.

Com uma enorme gama de alternativas, a Bolsa de Valores também permite ao investidor lucrar com a desvalorização dos papéis. Essa forma de investir é conhecida como operar vendido – e pode ocorrer tanto no mercado futuro, de opções e índices, por exemplo, quanto no mais conhecido da B3: o mercado de ações.

Deseja entender como isso funciona na prática? Siga a leitura desse post que hoje nós vamos te apresentar mais uma possibilidade de ganhar dinheiro na Bolsa de Valores!

O que é operar vendido?

Se essa expressão te causou certo estranhamento em um primeiro momento, não se preocupe, você já vai entender o que ela significa. A operação mais comum da Bolsa, por outro lado, você já conhece bem: comprar um ativo por um preço menor e vendê-lo por um valor maior.

Por exemplo: você adquire um lote de 100 ações da Petrobras a R$20 cada e vende por R$23. Ao final da operação, você vendeu suas ações por R$300 reais a mais do que comprou – e obteve lucro com isso. Simples assim. Veja um exemplo:

A estratégia de operar vendido

Também conhecida como “short” ou “venda a descoberto”, operar vendido funciona de maneira muito parecida com a situação que você acabou de ver acima, só que de maneira inversa. Se a expectativa é que o preço da ação caia, você primeiro vende a ação por R$20, para depois comprá-la a R$18 e então lucrar com a diferença de R$2,00 entre o preço de compra e o preço de venda.

Vendendo um ativo que não possuo

Ao operar vendido, o investidor tem a oportunidade de vender uma ação antes mesmo de comprá-la. Isso significa, na prática, que ele não terá a propriedade daquele ativo – portanto, para conseguir efetuar a operação, precisará “alugá-lo”. Nesse processo, existem duas partes: o doador e o tomador.

  • Doador: é o investidor que comprou ações e possui a propriedade desses papéis, ou seja, as ações pertencem a ele. É o doador quem aluga as ações para outros investidores. Seu objetivo pode ser, por exemplo, tornar-se sócio das empresas para receber dividendos, participando da divisão de lucros. Como o doador ficará com as ações por um maior período de tempo, ele firma contrato com a corretora, disponibilizando suas ações para aluguel.
  • Tomador: é quem aluga as ações do doador. Ele precisa desse ativo por um curto período de tempo, com o objetivo de utilizá-lo para realizar operações vendidas, apostando na sua queda.

Dessa forma, o doador – que não tem interesse em se desfazer das ações no momento – as aluga para o tomador, que pode realizar a venda a descoberto (o mesmo que operar vendido) e lucrar com os preços em queda. Vale lembrar que é possível operar vendido independentemente do prazo, desde o day trade, que são as operações mais rápidas da Bolsa, até o buy and hold (operações de longo prazo).

Existem taxas para operar vendido?

Não há nenhum mistério em operar vendido, mas é preciso se atentar a alguns detalhes, pois essa modalidade de investimento possui algumas diferenças quando comparada às tradicionais.

Assim como em qualquer outra operação, o investidor precisará arcar com alguns custos. As taxas sempre vão existir e precisam ser levadas em consideração.

O primeiro ponto, no caso da venda a descoberto, é que a Bovespa exige uma margem de garantia (que pode variar conforme a situação do ativo). Essa margem pode ser um depósito em sua conta, proporcional ao valor do ativo que você movimentou, ou um título de renda fixa (como CDB ou Tesouro Direto, por exemplo).

O mais importante é sempre entender a viabilidade de arcar com essas taxas, para decidir se vale a pena negociar um ativo ou não. Em uma operação de venda a descoberto, estão envolvidos os seguintes custos:

  • Taxa de corretagem;
  • Impostos que incidem sobre as negociações;
  • BTC – para operações que duram mais de um dia (representa o custo do aluguel do ativo a ser operado vendido).

Vantagens de operar vendido

A principal vantagem dessa estratégia é, justamente, poder lucrar com a queda das ações no mercado. Muitos investidores, principalmente iniciantes, tendem a se assustar quando o preço dos ativos cai – no entanto, quem opera no curto prazo, geralmente day trade, aproveita a oportunidade para “remar a favor da maré” – e se beneficia com isso.

Funciona assim:  se o investidor entende que o valor de um dado papel irá cair ao longo do dia, ele o vende para, logo em seguida, adquiri-lo novamente (mas por um preço menor).  

Como sabemos, a Bolsa de Valores é um ambiente muito volátil – e, por isso mesmo, esses cenários são apenas projeções. Ainda assim, é possível investir com assertividade, minimizando perdas e potencializando ganhos.

Para isso, a regra número um é: acompanhe o mercado, estude as diferentes estratégias de investimento e conheça a análise gráfica e fundamentalista. Quem opera vendido deve, prioritariamente, lançar mão da análise gráfica. 

O resto você já sabe: tomar boas decisões está também diretamente ligado ao quanto você se conhece como investidor e da clareza que possui com seus objetivos a curto, médio e longo prazo. Portanto, sempre leve esses critérios em consideração antes de começar a colocar a mão na massa para valer!

Operar vendido é como aprender a dirigir

Como vimos, operar vendido é uma estratégia interessante para quem deseja lucrar com a queda dos ativos negociados na Bolsa de Valores. Quando entendemos como ela funciona, tudo se torna muito mais simples. É como aprender a dirigir um carro: no começo é comum se perder em meio a tantos detalhes, mas, com a prática, o processo se torna natural.

Ou seja, operar vendido é um procedimento como qualquer outro na Bolsa de Valores: não há nenhum segredo ou mágica por trás, e ser bem sucedido nas operações está longe de ser uma regra – mas muito relacionado ao conhecimento e experiência que vamos adquirindo com os investimentos.

Agora é hora de ouvir você: o que achou de aprender um pouco mais sobre a venda a descoberto? Esse conteúdo foi útil para você? Deixe um comentário para a gente aqui no blog! 

Posts relacionados

8 thoughts on “Saiba como operar vendido e lucrar na queda de ações

  1. Pessoal, o trabalho de voces é maravilhoso, simples, compacto, altamente compreensivo, sem o fator ” confusão” Parabens, e MMMMMUUUIIITOOOOOOO OBRIGADO. estou compartilhando o máximo para meus amigos.

  2. Estou gostando muito do trabalho de vocês e do suporte técnico que vocês oferecem para nós, eu estou recomendando o serviços de vcs para minhas amigas,parabéns!

  3. Incrível!!!!!, Quanto mais leio as publicações, que são explicadas de forma fácil de se compreender, mais quero ler…. Devorei os conteúdos!
    Ótimo trabalho! Parabéns!!

Deixe um comentário