ordem de compra

Tipos de ordem de compra do mercado de ações

Basicamente, negociar ações na Bolsa de Valores significa comprar ou vender papéis emitidos por empresas. Para comercializá-los, é preciso enviar à corretora de valores uma ordem de compra ou de venda.

Após emitidas via home broker, essas ordens são executadas pela corretora na qual você possui conta. Se você for um iniciante no mercado acionário, talvez não saiba que existam tipos diferentes de ordens.

Esse é o seu caso? Quer começar a investir na Bolsa? Acompanhe este post para entender quais são os tipos de ordem de compra do mercado de ações brasileiro! 

1- Ordem a Mercado

A ordem a mercado acontece imediatamente. Isso porque o investidor só precisa informar à corretora as ações e a quantidade que quer negociar, já que o preço pago pelo ativo é o que está em vigor no momento. 

2- Ordem Limitada 

É aquela que especifica o preço e a quantidade de ações a serem negociadas. A negociação só ocorre quando o valor da ação for igual ou menor do que o preço que você escolheu anteriormente.

3- Ordem Casada

É composta por uma ordem de compra e outra de venda. Essas ordens só podem ser executadas de forma integral e simultânea. 

4- Ordem Administrada

Outro tipo de ordem de compra é a administrada: a característica dela é semelhante à ordem de mercado, na qual o investidor informa apenas a ação e a quantidade a ser negociada. Mas, nesse caso, é a corretora que decide qual é  o melhor momento de executar a aquisição do ativo.

Como usar a ordem de compra para gestão de risco?

Se você está entrando agora no mercado de ações, saiba que existem outros tipos de ordem que podem te proteger de perdas e que funcionam como técnicas de gestão de risco para seus investimentos. A  ordem de stop loss, por exemplo, permite que você defina um valor limite para encerrar a operação automaticamente. 

Esse recurso permite que o investidor compre ações e estabeleça o valor máximo de perda aceitável dentro de sua estratégia. Assim, se uma ação cair, ela é vendida automaticamente e não gera tanto prejuízo. 

Um pequeno descuido pode prejudicar a estratégia

Para você entender melhor o que acabamos de explicar, imaginemos que um investidor comprou ações do Itaú (ITUB4) a R$34 cada. Dentro da estratégia, ele definiu que, se o preço das ações caísse para R$ 32, ele venderia os papéis para limitar o seu prejuízo a R$2 por ação. 

Mas não definiu o stop loss da operação e foi realizar outras atividades. Nesse meio tempo, ele não percebeu que o valor dos títulos do Itaú foi para R$ 30, o que gerou uma perda de R$ 4.

Esse prejuízo representa 100% a mais do que o prejuízo planejado. Ou seja, com um pequeno descuido, a estratégia de investimentos pode ser prejudicada.

Automatização do investimento

Se o investidor acima tivesse usado a ordem de stop loss, ele não teria tido um prejuízo além do esperado, já que ele teria automatizado a sua operação. Mas existe uma outra ordem com lógica inversa à que acabamos de mencionar: é a ordem start. Por meio dela, você programa a aquisição para quando o ativo estiver acima de um preço pré-determinado.

Exemplo: suponha que a ação do Itaú esteja custando R$ 34. Você pode criar uma ordem start com disparo em R$ 35 e estabelecer o preço limite de compra em R$ 35,50. Se o preço subir e a ação que antes custava R$ 34 chegar a R$ 36, você terá efetuado a compra a R$35 e a venda a R$ 35,50.

Validade das ordens de compra

As ordens de compra possuem validades distintas, de acordo com o que é especificado pelo investidor. Veja as principais abaixo:

Para o dia 

Como sugere o nome, a execução da ordem é válida somente para o dia em que foi enviada.

Até a data especificada 

Neste caso, a oferta terá validade até uma determinada data estipulada pelo investidor. Pode ser por uma semana, um mês, ou qualquer outro período que desejar.

Até cancelar 

A ordem ficará aberta o tempo que for necessário até que ela seja executada ou até que o investidor a cancele.

Validade tudo ou nada 

Só é executada com a quantia exata e pelo preço exato da ordem enviada. Por exemplo, se você quiser comprar 1000 ações a R$ 10, mas a contraparte só tem 900 papéis a esse preço, a operação não é realizada, já que a ordem é para 1000 títulos ou nenhum.

Validade execute ou cancele 

Após o envio da ordem, é avaliada a condição da contraparte e executada a quantidade que tiver disponível. O sistema pode não executar todos os ativos negociados e o saldo restante da operação será cancelado.

Exemplo, se o investidor quer comprar 1000 ações a R$10 e apareceu a contraparte a R$10, mas que não tem 1000 ações, apenas 400. A ordem é executada para 400 ações e o resto é cancelado. 

Ainda ficou com dúvidas sobre tipos de ordens de compra? Fale com a gente aqui embaixo nos comentários.

Se você está interessado em saber como começar a operar com ações na Bolsa de Valores, a Vexter pode te ajudar! Em nossa plataforma, o investidor encontra tudo que precisa para começar: por meio da nossa rede social, é possível compartilhar informações, ficar por dentro das novidades do mercado e ter contato com outros investidores. Você também tem acesso ao simulador de investimentos na Bolsa e pode interagir com especialistas de investimentos ao vivo. 

Nossos especialistas estão prontos para te orientar, enviando as melhores oportunidades de investimento. Não perca tempo, venha para a Vexter!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.