pagar dívidas

Pagar dívidas: como quitar todas?

“Dinheiro não traz felicidade, mas provoca uma sensação tão parecida que é preciso de um especialista para diferenciar”.

Você certamente já ouviu esse ditado em algum momento da vida. E vamos combinar, é difícil discordar dele.

Mas falar de dinheiro sempre envolve duas coisas: promessas e consequências impensadas. Nós vivemos em uma sociedade em que dinheiro e bens são sinônimo de qualidade de vida, mas que, por outro lado, tem altos índices de endividamento. 

Pois bem, se você faz parte do grupo de milhões de brasileiros que possuem dívidas, saiba que existe luz no fim do túnel. Para te ajudar, fizemos esse artigo pensando nas suas maiores dúvidas. 

Aprenda com a gente a pagar dívidas e tirar de vez a palavra “endividado” do seu vocabulário! vamos lá? 

Reconheça o problema 

“Devo, não nego, pago quando puder” e “Divida não se paga, se administra” são apenas algumas das expressões populares que descreve a situação financeira dos brasileiros atualmente. 

Mas ignorar as dívidas tem consequência e, a longo prazo, só irá aumentá-la com a soma dos juros. 

Inclusive, ser assombrado pelos fantasma das dívidas durante muito tempo pode comprometer suas relações pessoais, sua saúde e o seu desempenho no trabalho. 

Segundo uma pesquisa 60% dos entrevistados afirmaram que problemas financeiros causam distrações no trabalho. 

Endividado ou Inadimplente? 

Para começar a se livrar das dívidas,  entender a diferença entre inadimplência e endividamento é essencial. Especialmente, porque para cada situação existe uma forma de lidar.  

Para ficar mais simples  de entender criamos dois exemplos:  

Marcos comprou um carro financiado por um banco. Nesse caso, como ele terá uma dívida para pagar a longo prazo, ele está endividado. Após o pagamento do financiamento, se ele comprar um sofá parcelado no cartão de crédito, ele continua endividado. 

Em outras palavras, independente do valor e de ter condições para pagar, ter dívidas planejadas significa estar endividado.  

Agora imagine: dois meses após ter comprado o sofá, Marcos perdeu o emprego e não conseguiu pagar as próximas faturas. Nessa situação, Marcos está inadimplente. 

Liste suas dívidas 

Bom, agora que você sabe esses conceitos é hora de começar a  organizar sua vida financeira!  E não tem como fazer isso sem mapear todas as dívidas.

Muitas pessoas não sabem o quanto estão devendo, o quanto pagam de juros e quantas parcelas ainda faltam. 

Esse é o momento de perder o medo das cobranças! Abra as correspondências de cobrança, atenda os telefonemas e descubra a sua real situação financeira. E, em seguida, coloque tudo no papel.

Defina uma estratégia para pagar dívidas

Na sua origem, a palavra estratégia era utilizada para se referir aos planos militares. Dito isso, esse é o momento de criar um plano para pagar dívidas e declarar guerra a elas! 

Agora que você tem conhecimento sobre as suas dívidas, vamos voltar nos conceitos de endividamento e inadimplência para te dar importantes dicas. Vamos lá?  

Evite o efeito bola de neve na hora de pagar dívidas 

Se você tem parcelamentos e tem como pagá-los, a sua preocupação deve ser manter os pagamentos em dia e controlar os gastos

Agora imagine que em um mês teve um gasto de R$250 que foi parcelado em 5x. No mês seguinte, o gasto foi de 183,24 em 3x. 

Em um primeiro momento, se você tiver uma renda, os valores não parecem tão altos para se gastar por mês, certo? Porém, no segundo mês, o valor da sua fatura aumentará cerca de 50%. 

Conseguiu imaginar o resultado disso a longo prazo? Lembre-se: para pagar dívidas é necessário não aumentar o problema. Mantenha-se no seu orçamento. 

Pagar dívidas e limpar seu nome 

Não importa qual seja a causa que te levou à inadimplência, o não pagamento de dívidas vencidas há mais de 90 dias pode atrapalhar a sua vida financeira. 

Isso porque após esse período, as empresas enviam as informações das dívidas para o banco de dados da Serasa. Como consequência, você fica com o seu cpf restrito e uma baixa pontuação como consumidor (Score). 

Nesse caso, a sua preocupação deve ser procurar meios para quitá-las e evitar ficar esperando a prescrição da dívida. 

Mas afinal, qual dívidas priorizar? 

Por fim, agora você deve estar se perguntando: e agora, por onde eu começo? 

Inicialmente, você precisa analisar duas coisas: quais as dívidas que você consegue quitar à vista em um curto prazo e quais têm os juros mais altos. Ao identificar essas dívidas será possível estabelecer o ranking de prioridades. 

Em um segundo momento, especialistas recomendam o pagamento à vista das dívidas que o seu orçamento permita  o mais rápido possível. Nesse caso, é importante saber que você pode conseguir descontos para pagamentos à vista. 

Do mesmo modo, é recomendado priorizar o pagamento das dívidas com os juros mais altos. Na mesma lógica, caso o seu orçamento permita o pagamento à vista, não perca tempo. No entanto, se o valor da dívida estiver muito alto é hora de partir para a renegociação. 

Aprenda a arte da negociação 

Segundo especialistas financeiros, a renegociação é uma das principais estratégias para quem quer colocar a vida financeira em ordem com soluções interessantes. 

Você sabia que por meio da renegociação é possível conseguir a redução significativa dos valores, juros e, até mesmo, melhores condições de parcelamento?

E existem dicas que podem te ajudar conquistar condições especiais: 

  1. Descubra o valor real da sua dívida;

Ter consciência do valor inicial da dívida pode ser um facilitador na negociação. Assim você pode propor um novo acordo o mais próximo possível do valor inicial. 

  1. Entenda as condições do contrato da sua dívida;

Procure analisar se os valores e juros cobrados estão corretos. Ter essa informação em mãos no início da renegociação pode evitar que você pague mais do que deveria. 

  1. Pesquise todas as formas para se livrar das dívidas; 

Existem inúmeras formas para você pagar as suas dívidas. Se informe bem para encontrar a mais adequada à suas finanças. Em alguns casos, uma possibilidade é pedir um empréstimo com juros baixos para utilizá-lo para quitar as dívidas à vista

  1. Procure o seu credor já com uma proposta; 

Antes de acertar uma renegociação, você precisa ter clareza sobre as suas condições financeiras. Ao apresentar quais são as suas reais possibilidades você pode conseguir um acordo com melhores condições. Mas se mesmo assim você ainda tiver dificuldades, você pode solicitar a portabilidade de crédito para uma instituição com taxas menores.  

  1. Fique de olho nos feirões de renegociações; 

Ao longo do ano, periodicamente, é realizado o Feirão Serasa Limpa Nome A vantagem desses feirões é que eles permitem a negociação totalmente online e oferecem grandes reduções dos valores. Para participar, você precisa se cadastrar no site e ficar de olho na divulgação das datas.  

Crie uma planejamento financeiro 

A falta do planejamento financeiro é uma das principais causas do endividamento. 

É por meio do planejamento que é possível administrar as finanças de uma forma sustentável, conquistar sonhos e poupar dinheiro. Por isso que o controle do orçamento é uma maneira eficiente de evitar que você volte a pagar dívidas. 

Além disso, poupar dinheiro é uma tarefa muito importante e precisa estar presente em seu dia a dia. São essas pequenas economias que irão permitir que você tenha um fundo de reserva para necessidades de emergência, para manter as contas em dia em caso de perda renda e, até mesmo, começar a investir para garantir uma renda extra. 

Leia também: Como gerar renda passiva a partir de investimentos

Quer saber mais sobre planejamento financeiro? Confira nossas dicas para te ajudar para te ajudar a elaborar um bom planejamento financeiro.

E aí, pronto para pagar dívidas e limpar o seu nome? Deixe um comentário e compartilhe!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.