qual melhor fundo imobiliário qual melhor fundo imobiliário

Qual melhor fundo imobiliário: aprenda a escolher

7 minutos para ler

Não há dúvidas de que o avanço da pandemia do coronavírus trouxe inúmeras incertezas em âmbito socioeconômico para o Brasil e o mundo em 2020. O que muita gente não sabe é que, apesar da volatilidade do mercado, o número de investidores que aplicam seus recursos em Fundos de Investimento Imobiliário (FIIs) continuou crescendo.

O Ifix, índice da Bolsa de Valores responsável por medir a performance dos FIIs, bateu os 2.828,75 pontos em outubro -e pode ser que siga em ritmo de crescimento.

Os fundos imobiliários surgem, portanto, como uma ótima alternativa para quem deseja investir em imóveis e lucrar com a baixa da taxa básica de juros da nossa economia, a Selic. Mas para operar no mercado com mais confiança, vale à pena conhecer mais sobre o assunto. Continue a leitura e entenda!

O que são fundos imobiliários

Investir em imóveis é o desejo de muita gente, no entanto, mantê-los costuma ser um pouco mais complicado, tendo em vista, principalmente, os altos custos envolvidos.

Os fundos imobiliários, por sua vez, contam com benefícios semelhantes – com a vantagem de que o investidor pode adquirir cotas de grandes empreendimentos por valores bem mais acessíveis e com uma ótima liquidez.

Os FIIs possuem gestores especializados, responsáveis por gerenciar o desempenho dos investimentos, redistribuir e repassar os rendimentos aos cotistas.

Aqui, vale lembrar que os fundos imobiliários rendem de duas maneiras:

– Pela valorização das cotas, condicionada às negociações realizadas pelos investidores na Bolsa de Valores;

– Pelos proventos que o fundo paga mensalmente, uma vez que, quitados os custos do FII, 95% dessa verba deve ser, obrigatoriamente, distribuída aos cotistas.

Tipos de fundos imobiliários

Com características de renda fixa e variável, os FIIs possuem imóveis físicos ou ativos e são recomendados para quem está disposto a investir a médio e longo prazos. Veja:   

Fundos de tijolo (físicos)

Quem investe nos fundos de tijolo opta pelos imóveis físicos, como grandes empreendimentos, shopping centers, escritórios, etc. São ideais para o investidor que deseja aproveitar os momentos de aquecimento da economia. 

Fundos de papel

Recomendados para os investidores que buscam mais segurança e estabilidade, os rendimentos dos fundos de investimento de papel resultam do desempenho de aplicações relacionadas a imóveis, que possuem o IPCA, por exemplo, como indexador.

É por isso que investir nos fundos de papel pode ser uma boa alternativa para quem visa se resguardar contra o aumento da inflação da economia. As Letras de Crédito Imobiliário (LCIs) e os Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) são alguns exemplos.

Fundos híbridos

Nesse caso, se mesclam em uma mesma carteira títulos imobiliários, fundos de tijolo e, em alguns casos, até mesmo cotas de outros FIIs.

Da mesma forma que os fundos de tijolo e papel, os rendimentos dos fundos híbridos são geridos por um gestor especializado e distribuídos entre os cotistas.

Como escolher o melhor fundo imobiliário

Os rendimentos provenientes dos fundos de investimento são também chamados de dividendos. Infelizmente, não é possível conhecer qual o melhor fundo imobiliário, no entanto, o investidor pode – e deve! – analisar o histórico dos FIIs para fazer projeções.

Abaixo, vamos trazer para você 5 dicas para ajudá-lo na escolha do melhor fundo imobiliário de acordo com o seu perfil. Confira:

1- Conheça os seus objetivos

Antes de começar a investir, o investidor deve conhecer bem os seus objetivos e compreender as características de cada Fundo Imobiliário para encontrar o que mais se adequa às suas expectativas, afinal, existem muitas opções à disposição do investidor no mercado.

2- Saiba quem é o gestor do FII

Investir em fundos imobiliários exige que você saiba quem é o administrador para obter o máximo de informações possíveis sobre o especialista, uma vez que o dinheiro é investido indiretamente por meio desse gestor – responsável, por sua vez, pela escolha dos imóveis que serão comprados, vendidos ou alugados, as regiões e os valores negociados.  

 3- Observe se o fundo de investimento é diversificado

Quanto mais imóveis e locatários um fundo de investimento possuir, mais chances o investidor terá de contar com rendimentos consistentes – ao contrário de fundos que possuem um único imóvel e ou um único locatário, por exemplo. Aqui, os riscos envolvidos são maiores.

 4- Analise os riscos e a rentabilidade

A lógica do mercado é sempre a mesma: quanto maior o risco, maior a possibilidade de rentabilidade de um investimento. É importante observar também o histórico da média dos rendimentos dos últimos 12 meses antes de tomar a sua decisão – no entanto, vale lembrar que a rentabilidade dependerá do preço de compra das cotas por cada integrante do FII.

Apesar dos lucros serem distribuídos igualmente entre os cotistas, a rentabilidade estará condicionada ao valor pago pela cota: quanto maior for o preço pago por ela, menor será a rentabilidade em cima desse investimento.

 5- Diversifique o risco

A diversificação vale, inclusive, dentro da carteira. Ao fazer a escolha dos fundos de investimento, opte um portfólio com pelo menos um Fundo Imobiliário que apresenta menos riscos.

Além disso, esteja sempre por dentro das tendências do mercado imobiliário e informe-se constantemente junto ao gestor do fundo.

Como avaliar um fundo imobiliário?

Além de observar os valores pagos em dividendos, o investidor deve estar atento também ao patrimônio do FII antes de montar a sua carteira.

Outro ponto que merece atenção é a relação entre o preço da cota e o valor patrimonial do fundo, também chamado de P/VPA. Não é interessante adquirir uma cota em um fundo por um preço muito acima do seu valor patrimonial, uma vez que essa discrepância pode não representar um cenário realista de possível valorização.  

Ainda que o fundo não esteja pagando dividendos aos cotistas momentaneamente, como ocorre com frequência em cenários de muita incerteza – a exemplo do período atual – pode continuar sendo vantajoso investir nos FIIs, já que o seu valor patrimonial continuará sendo distribuído aos cotistas.

Quais os melhores fundos para investir?

Possivelmente você deve estar se perguntando qual o melhor fundo imobiliário, certo? Apesar de não existir uma resposta única para essa pergunta, vale considerar que os melhores fundos para investir o seu dinheiro em 2020 são os que apresentam crescimento contínuo.

Como falamos, observar o histórico dos FIIs é muito importante, mas o desempenho passado de um fundo não ditará necessariamente uma tendência futura.  

Existem plataformas online que ranqueiam as últimas atualizações dos fundos imobiliários. Alguns exemplos são o Funds Explorer e o FIIs. Contar com o apoio de especialistas no mercado na hora de tomar suas decisões também é fundamental para garantir um bom desempenho no mundo dos investimentos. A Vexter está à disposição para auxiliá-lo nessa jornada. Conte com a gente na hora de investir!

Posts relacionados

Deixe um comentário