taxa cdi taxa cdi

O que é taxa CDI?

6 minutos para ler

Para oferecerem alguns produtos a seus clientes – como empréstimos e financiamentos, por exemplo – as instituições financeiras precisam contar com um saldo positivo em seus caixas. Como isso nem sempre é possível dentro do dia, acabam recorrendo a outros bancos para captar esses recursos. 

Essas negociações entre as instituições são realizadas por meio da emissão dos Certificados de Depósito Interbancários (CDI). Esses certificados, por sua vez, servem como indexadores de rentabilidade a alguns investimentos e fundos de renda fixa, assim como a Selic. Por serem taxas referenciais para o mercado, títulos atrelados a elas acompanharão suas variações no mercado financeiro.

Quer saber mais sobre o que é a Taxa CDI? Continue a leitura!

O que é e como funciona o CDI?

As instituições financeiras estão sempre em negociação umas com as outras com o objetivo de manter seus balanços em equilíbrio e garantir proteção ao crédito de seus correntistas.

O Acordo de Basileia – que é um tipo de norma de segurança relacionado ao risco de uma instituição financeira – determina que os bancos não podem fechar o dia com saldo negativo em caixa. 

Por isso, para viabilizar acordos de tomada e concessão de crédito, os bancos emitem títulos chamados de CDI, ou Certificado de Depósito Bancário. A média do valor cobrado entre os bancos para emprestar temporariamente esse dinheiro é conhecida por taxa DI (Depósito Interbancário). 

Esses títulos são negociados apenas entre bancos, no entanto, acabam por basear o mercado e os fundos de investimento de renda fixa. Então, apesar de pessoas físicas não poderem investir diretamente nos CDI’s, qualquer título atrelado à taxa DI irá seguir suas flutuações de mercado, garantindo uma rentabilidade mínima ao investidor. Como servem para regular os caixas dessas instituições, esses recursos precisam ser devolvidos à instituição credora dentro de 24 horas.

CDI hoje

Variando diariamente, o CDI anual é calculado somando as taxas mensais. Até o momento, estão disponíveis os valores fechados apenas do mês de janeiro de 2020 no site da CETIP (Central de Custódia e Liquidação Financeira de Títulos Privados), da B3. No entanto, é possível consultar as variações na taxa mês a mês. Confira:

Mês – 2020 Taxa DI
Janeiro 0,36%
Fevereiro 0,29%
Março 0,33%
Abril 0,28%
Maio 0,25%
Junho 0,20%
Acumulado até o momento 1,53%

Histórico do CDI em 2019

Abaixo, você confere a taxa CDI acumulada a cada mês ao longo de 2019:

Mês – 2019 Taxa DI
Janeiro 0,54%
Fevereiro 0,49%
Março 0,47%
Abril 0,52%
Maio 0,54%
Junho 0,47%
Julho 0,57%
Agosto 0,50%
Setembro 0,46%
Outubro 0,46%
Novembro 0,38%
Dezembro 0,36%
Acumulado 5,95%

Investimentos referenciados pelo CDI

CDB, LCI, LCA, e Letras de Câmbio são exemplos de títulos pós-fixados que possuem seus rendimentos atrelados à taxa CDI. Mas as aplicações em renda fixa podem se enquadrar em duas outras categorias também. Veja:

  • Títulos prefixados — o rendimento mensal é determinado no ato da aplicação.
  • Títulos pós-fixados — o rendimento está atrelado a um indicador variável, como no caso do CDI.
  • Títulos híbridos — uma parte do rendimento é determinada no ato da aplicação e, a outra vinculada a um indexador.

CDB – Certificado de Depósito Bancário

Ao investir seu dinheiro neste título, você está emprestando seu dinheiro para uma instituição financeira – que o devolverá a você acrescido dos juros acumulados no período. Como é um título pós-fixado, não é possível estabelecer o percentual de rendimento no ato da aplicação. No entanto, é assegurado pelo FGC (Fundo Garantidor de Crédito).

LC — Letra de Câmbio

Em linhas gerais, esse título tem as mesmas características do CDB. A diferença é que a LC é emitida por instituições financeiras e não por bancos – como no caso dos CDBs. 

LCI — Letra de Crédito Imobiliário

Também muito parecido com o CDB, esse tipo de investimento captado pelos bancos é direcionado para o setor imobiliário e também possui garantia do FGC. A principal diferença, no entanto, é que o valor mínimo de aplicação na LCI costuma ser um pouco mais elevado em comparação ao CDB e o investidor conta com a isenção do Imposto de Renda.

LCA — Letra de Crédito do Agronegócio

Funciona da mesma forma que a LCI, com a diferença de que o crédito será direcionado para o setor do agronegócio. Além disso, possui isenção do Imposto de Renda e proteção do FGC. No entanto, seu prazo de vencimento costuma ser um pouco mais extenso.

CDI x Selic

Tanto o CDI quanto a Selic (taxa básica de juros da economia brasileira) são taxas referenciais para o mercado financeiro, sendo que a taxa CDI é mais dinâmica. Mas ambas caminham juntas: caso a Selic aumente, o CDI também costuma seguir o mesmo padrão – e vice e versa.

Como calcular o rendimento CDI

Se você chegou até aqui, deve estar se perguntando como fazer para calcular o rendimento de seus investimentos que variam de acordo com o CDI. É bem simples: basta multiplicar a taxa CDI do investimento pela taxa DI acumulada durante o período.

Por exemplo, se consideramos um investimento que rende 110% do CDI, – e considerando a taxa DI acumulada ao longo do ano de 2019 – teremos:

  • 110% x 5,95 % = 6,54% ao ano.

Com isso, se um título estiver atrelado a 100% do CDI, ele irá render na mesma proporção – assim como se estiver abaixo do patamar renderá menos e, se estiver acima dos 100%, se tornará mais atrativo. Então, se você está aplicando seu dinheiro em algum investimento que rende abaixo do CDI (90% do CDI, por exemplo), pode não ser tão vantajoso assim. 

E aí, o que você achou do conteúdo? Caso ainda tenha alguma dúvida sobre o assunto ou tenha alguma sugestão para dar, basta deixar um comentário aqui no blog!

Posts relacionados

Deixe um comentário