Taxa de corretagem: entenda o que é e como funciona

Tempo de leitura: 4 minutos

Para investir na bolsa de valores, é preciso ter conta em uma corretora de investimentos. Assim como em outras instituições financeiras, elas possuem os seus custos e, entre eles, está um muito conhecido: a taxa de corretagem. ​​

Já ouviu falar na taxa de corretagem? Sabe como ela é cobrada? Neste post, você entenderá melhor sobre ela. Confira!

O que é a taxa de corretagem?

Para investir na Bolsa de Valores, existem custos envolvidos nas operações, como os emolumentos. A corretagem nada mais é do que um valor cobrado pela corretora pelos serviços prestados aos seus clientes. Sendo assim, antes de realizar uma operação, é bom ficar atento aos custos envolvidos nesse processo.

Mas vale lembrar que esse não deve ser seu único critério na hora de escolher uma corretora para abrir sua conta. Você deve avaliar a instituição como um todo para entender seu custo benefício. Levar em conta a segurança da corretora é mais importante que as taxas cobradas, por exemplo.

Tipos de Taxa de corretagem

Existem diferentes formas de se cobrar pela corretagem e cada corretora tem a liberdade de escolher como será feita essa cobrança. Veja a diferença entre elas:

Corretagem Fixa

Na corretagem fixa, a taxa cobrada é a mesma, independente do valor financeiro operado. Por exemplo, se a corretagem para ações em uma corretora é R$ 5 por investimento realizado, independente de você comprar R$ 10.000 ou R$ 100.000 de uma ação, o custo da taxa será o mesmo. Esse tipo de cobrança é o mais praticado entre as corretoras.

Corretagem Variável

A taxa de corretagem variável é cobrada de acordo com o volume financeiro movimentado pelo cliente. Quanto maior o capital aplicado, maior a taxa. Na maioria das vezes, essa forma de cobrança é praticada por bancos.

Corretagem Fixa + Variável

Esse tipo de corretagem é formado por um custo fixo mais um percentual variável. Isso acontece quando o investidor realiza uma operação por meio do telefone, quando opta por comprar algum ativo pela mesa de operações, em vez de utilizar o Home Broker. Nestes casos, o custo costuma ser um pouco maior.

Tabela Bovespa de corretagem

Existe uma tabela criada pela Bovespa de onde as corretoras baseiam suas taxas. A corretora calcula o montante da operação e aplica as taxas fixas e variáveis da tabela. Veja a tabela abaixo:

Faixa de valor (R$) Fixo (R$) Percentual do Volume Operado
135,08 – 498,62 0 2,00%
198,63 – 1.514,69 2,49 1,50%
1.514,70 – R$ 3.029,38 10,06 1,00%
3.029,39 e acima 25,21 0,50%

Fonte: Bovespa

Powered by Rock Convert

Antes, a Bovespa determinava os custos com corretagem através dessa tabela. O intuito do tabelamento era nivelar os custos. Apesar de definir o limite superior dos preços, a maioria dos investidores pagava o valor máximo, com exceção dos grandes investidores que conseguiam negociar as taxas.

No entanto, no ano 2000, o Conselho Monetário Nacional emitiu uma resolução que colocou fim no tabelamento, já que os investidores acabavam pagando os maiores custos. A partir de então, a Bovespa disponibiliza a tabela como sugestão de preço.

Imposto Sobre Serviços (ISS)

Existe outro custo que tem ligação com a taxa de corretagem: o Imposto Sobre Serviços (ISS). Quem cobra este imposto é o governo.

O ISS incide sobre o valor da corretagem e costuma ser de, no máximo, 5% da taxa. Caso a corretora cobre R$8 de corretagem, por exemplo, o ISS será de, no máximo, R$0,40.

Corretagem de contratos futuros

Na bolsa de valores, é possível investir em ações e também no mercado futuro. Você pode comprar ações de empresas como Vale, Itaú e Petrobras e também contratos futuros de Dólar, Ibovespa e outros ativos.

Assim como em outras operações, ao negociar contratos futuros, também é preciso arcar com a taxa de corretagem, que é cobrada pelo número de contratos operados e não por operação. No entanto, o custo dessas operações é mínimo e representa uma pequena parcela do dinheiro investido em contratos futuros. Por isso, essa é uma das vantagens de entrar nesse mercado. Na Genial investimentos, por exemplo, o custo para se investir no mini-dolar é de apenas R$ 0,12 por contrato, sendo que esse contrato pode movimentar cerca de R$ 40.000.

Veja um exemplo

Vamos supor que você tenha adquirido 100 ativos de PETR4 a R$18 e, em seguida, venda esses mesmos 100 ativos no valor de R$18,18. Para cada uma dessas operações, você pagaria:

Compra : R$10,06 + R$ 18,00 = R$28,06

Venda : R$10,06 +R$ 18,18 = R$ 28,24

Critérios para avaliar uma corretora

Agora que você já aprendeu mais sobre a taxa de corretagem, poderá avaliar o valor que as corretoras cobram e como elas cobram. Esse é um dos fatores importantes na hora de escolher uma corretora para fazer seus investimentos, mas não é o único.

É importante lembrar que é preciso também avaliar outros critérios, como segurança, atendimento e idoneidade da empresa. Tudo isso para tomar a melhor decisão para os seus investimentos.

A corretora parceira da Vexter é a Genial Investimentos. Se quiser saber mais sobre as corretoras de investimentos, acesse o nosso post “Por que investir em corretoras de investimento”.

Ficou com alguma dúvida? Faça sua pergunta no comentário abaixo que vamos te ajudar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *