Tipos de ações: quais são e como influenciam seus investimentos?

Quando você compra ações de uma empresa, é possível lucrar com a valorização desses papéis e também participar dos lucros da instituição. Investir em ações na bolsa de valores é uma ótima forma de rentabilizar o capital e, por isso, tem atraído muitos brasileiros. Mas existem diferentes tipos de ações e entender cada uma delas pode fazer muita diferença em seus investimentos. 

O que diferencia uma ação da outra e como elas são classificadas? Aprenda neste post!

Quais são os tipos de ações?

A bolsa de valores é composta por três tipos de ações: preferenciais, ordinárias e units. Entenda a diferença entre cada uma delas:

Ações preferenciais

As ações preferenciais oferecem ao investidor que adquiriu este ativo a prioridade no recebimento de dividendos, caso a instituição ao qual o papel pertence declare falência, por exemplo. Isso quer dizer que, nestes casos, o acionista tem preferência na distribuição dos lucros.

Esses papéis são identificados pelo número 4 ao final do código do ativo. Por exemplo, as ações preferenciais do Bradesco possuem o seguinte código: BBDC4.

Ações ordinárias

O investidor que possui ações ordinárias tem direito ao voto nas assembleias da empresa. Esse tipo de ação é ideal para quem quer contribuir com as decisões da instituição.

Mas vale lembrar que o poder de voto na assembleia dos acionistas é proporcional ao volume de ações ordinárias que o investidor possui. Esses papéis podem ser identificados pelo número 3 após o código do ativo. Por exemplo, o código BRFS3 representa uma ação ordinária da empresa BRF.

Ações Unit

Por último, temos as ações unit, que são uma variação das duas citadas acima. Com este papel, o investidor tem a preferência pelos dividendos e também possui direito ao voto no caso de assembleias.

Ações unit são identificadas pelo número 11 após o código do ativo. Por exemplo: SANB11 é uma ação unit do banco Santander

Qual dos tipos de ações é melhor para investir?

Para o investidor do mercado de ações, que tem como maior objetivo comprar barato e vender caro, tanto faz se a ação é ordinária ou preferencial. Neste caso, o importante é que o ativo tenha liquidez, um ponto fundamental para que a operação inicie e encerre dentro do prazo esperado.

A Bradespar é um ótimo exemplo de escolha entre uma ação preferencial e ordinária. O volume das ações preferenciais da empresa (BRAP4) é muito maior comparado ao das ações ordinárias (BRAP3), o que torna a primeira mais atrativa para negociação, caso a prioridade seja a liquidez. Dessa forma, cada ativo possui características específicas que precisam ser observadas antes da compra para tomar melhores decisões.

Considere a liquidez das ações

Um dos principais fatores que o investidor deve levar em consideração para escolher em qual tipo de ação ele deve investir, além da expectativa de lucro, é a sua liquidez. Ou seja, a facilidade de negociar aquele papel.

Para uma mesma empresa existem ações com maior liquidez do que outras. Por isso é tão importante saber qual tipo de ação você está comprando.

O tamanho da empresa também faz diferença

Small Caps, Mid Caps e Large Caps. Você já ouviu algum desses nomes antes? Eles se referem à classificação das ações de acordo com o tamanho da empresa a qual elas pertencem.

As Big Caps são ações de grandes empresas, já as Small Caps são ações de empresas com valor de mercado mais baixo e as Mid Caps são o meio termo entre as duas citadas. Normalmente, os investidores buscam investir em Big Caps por possuírem mais volatilidade e liquidez.

O que são Blue Chips?

Além dos termos em inglês que você viu acima, ainda existem as Blue Chips, ações que costumam estar no radar dos investidores. Blue Chips é um termo que veio dos cassinos, onde as “moedas azuis” valem mais.

As moedas azuis da bolsa são ações de empresas fortes no mercado onde os grandes investidores estão apostando mais. As ações consideradas Blue Chips variam com o tempo e com os resultados que as empresas apresentam. Dois exemplos clássicos de empresas que podem ser consideradas Blue Chips brasileiras são a Petrobras e Vale, pois possuem grande volume financeiro, boa liquidez e destaque de participação no mercado.

As ações e os diferentes setores da bolsa

Existem empresas de diversos setores na bolsa de valores, como construção civil, metalúrgica, transporte, alimentício e bancário. Essa diferenciação serve não só como uma categoria, mas como ponto importante a ser levado em consideração na hora de traçar suas estratégias.

Cada setor indica que as empresas que o compõem possuem algumas características em comum e podem ser influenciadas pelos mesmos movimentos do mercado. Por exemplo, uma variação da taxa de câmbio de um país influencia nos setores que dependem de importar ou exportar produtos. O dólar mais caro no Brasil, beneficia as empresas que exportam seus produtos, afinal, o real fica mais barato.

Dessa forma, é importante diversificar seus investimentos de forma a não adquirir apenas ações do mesmo setor. Assim, você consegue minimizar o impacto de eventos inesperados. Aproveite a variedade de ações da Bolsa ao seu favor e monte uma carteira de ações diversificada para gerenciar bem os seus riscos e conquistar resultados ainda melhores!

Quer aprender mais sobre investimentos na bolsa de valores? Baixe o nosso infográfico sobre o assunto!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.